A BIBLIOTECA DO BIBLIOTECÁRIO


  • Coluna voltada para a discussão de textos que abordem temas de interesse da área da Ciência da Informação

RELATÓRIO SOBRE A SITUAÇÃO DAS BIBLIOTECAS AMERICANAS

Importante estudo, intitulado “Report: State of America's Libraries 2011”, foi lançado em 14 de abril de 2011, pela American Library Association (ALA). Segundo o documento, “a Grande Recessão pode ter chegado ao fim, mas não há fim para o papel fundamental das bibliotecas em ajudar os norte-americanos a encontrar emprego ou iniciar um empreendimento com o seu próprio esforço”.

 

Os dados foram coletados por meio de uma pesquisa nacional patrocinada pela ALA, como parte de um estudo global feito pela Harris Interactive, por meio de 1012 entrevistas telefônicas realizadas em janeiro de 2011.

 

O estudo apontou que a biblioteca acrescentou mais de trinta milhões de dólares ao valor econômico para a cidade no ano fiscal de 2010 e que também trouxe impactos positivos no desenvolvimento dos negócios e do emprego.

 

Outro dado interessante mostrou que as casas localizadas num raio de um quarto de milha de uma sucursal de biblioteca pública valiam em média 9.630 dólares a mais do que aquelas fora dessa distância, um indicador de que a presença de uma biblioteca é associada a maior receita municipal advinda decorrente do imposto predial.

 

O texto completo do documento (882 KB, no formato PDF) está disponível no URL: http://ala.org/ala/newspresscenter/mediapresscenter/americaslibraries2011/
state_of_americas_libraries_report_2011.pdf

 

O sumário do documento incluiu, entre outros, os seguintes tópicos: introdução, financiamento bibliotecário, bibliotecas públicas, bibliotecas escolares, bibliotecas universitárias, tecnologia bibliotecária, redes sociais, construção e reforma de bibliotecas e liberdade intelectual.

 

É pena que não ainda se tenha este tipo de estudo global em relação a todos os tipos de bibliotecas brasileiras. Como se vê, deparamos com um longo caminho a ser percorrido. Com a palavra as nossas entidades maiores como a FEBAB (Federação Brasileiras de Associações de Bibliotecarios, Cientistas da Informação e Instituições), o Ministério da Cultura, o Ministério da Educação e certamente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


   320 Leituras


Saiba Mais





Sem Próximos Ítens

Sem Ítens Anteriores



author image
MURILO BASTOS DA CUNHA

Murilo Bastos da Cunha é professor do Departamento de Ciência da Informação e Documentação da Universidade de Brasília (UnB). Fez doutorado em biblioteconomia na University of Michigan (EUA) e mestrado na Universidade Federal de Minas Gerais. Dentre as atividades que exerceu na UnB estão a de diretor da Biblioteca Central, Faculdade de Estudos Sociais Aplicados e chefe do Departamento. Foi presidente da Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal (ABDF) e do Conselho Federal de Biblioteconomia. Publicou: Uso de informações científicas e técnicas no Brasil, com Victor Rosenberg (1983); Bases de dados e bibliotecas brasileiras (1984); Documentação de hoje e de amanhã (1986 e 1994), com Jaime Robredo; Para saber mais: fontes de informação em ciência e tecnologia (2001); Dicionário de biblioteconomia e arquivologia (2008), com Cordélia Cavalcanti.