BIBLIOCONTOS


BIBLIOTECÁRIO DE TEMPOS EM TEMPOS

Eu não corro contra o tempo,

Tão pouco o persigo.

O tempo se quiser que me leve.

Afinal! O tempo é continuo. Caminho desconhecido.

Eu, do meu lado, vou no meu compasso lento...

Ritmo de caminhar tranquilo.

Se o tempo chegar antes, que me espere sentado, ou parta no seu tempo.

Eu, do meu lado, não vou apressado...

Até para dar tempo ao tempo de aguardar, ou seguir no seu fluxo corrido.

Ademais, sou bibliotecário.

Não sou senhor do tempo, apesar de ter nas mãos, todos os tempos.

São milênios, séculos, décadas, anos, e meses – fatos e acontecimentos,

ideias  e  conhecimentos.

E, se o tempo é passado, eu enquanto bibliotecário não crio contratempo,

        Organizo os registros, e disponho para outros tempos.

Para que o tempo transcorrido nunca seja tempo perdido,

Mas que todo tempo reunido possa, em seu devido tempo, ser recuperado,

E com tempo de ser bem aproveitado.

Eu não persigo o tempo, que ele siga ao seu tempo.

Pois eu! 

Eu vou no meu compasso, etiquetando o tempo dos homens.

Para que a qualquer tempo se tenha a perspectiva do tempo futuro,

A partir do tempo presente,

Sem olvidar-se do tempo passado.

Autor: Fernando Modesto

   23 Leituras


author image
FERNANDO MODESTO

Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.