BIBLIOCONTOS


BIBLIOTECÁRIO PAI DE PUNK

Dizem que o bom bibliotecário é como o vinho, quanto mais velho mais tem a oferecer. Este fato se passou em uma destas bibliotecas públicas existente na periferia de uma grande cidade brasileira. Não sei mais precisar qual era a cidade, aliás creio que isto é o que menos importa, mas o fato é que nesta biblioteca trabalhava uma bibliotecário bem velhinho, acima dos 90 anos de vida e, certamente de décadas de experiência profissional. Certo dia, estava esse bibliotecário na sala de leitura, quando vê entrar e sentar-se na sua frente um cara de aparência bem exótica, pouco usual na biblioteca. Alto e magro, tinha o cabelo comprido para além da cintura, com mechas verdes, azuis, amarelas e vermelhas. O velho bibliotecário ficou olhando para aquela figura, em realidade era um punk. O punk por sua vez ficou mirando o velho que o encarava.

 

O punk se invoca e pergunta pro velho bibliotecário:

 

-- O que foi véio, tá caduco? Está me catalogando por quê? Quando você era jovem nunca fez nada de diferente, ou é frustrado?

 

O velho bibliotecário, mantendo o olhar fixo responde pausadamente sem perder a calma:

 

-- Sim, eu fiz! Quando jovem fiz sexo com uma arara. Estou pensando agora, será que você é meu filho?

Autor: Fernando Modesto

   24 Leituras


author image
FERNANDO MODESTO

Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.