BIBLIOCANTOS


NEGRO GATO/BIBLIOTECÁRIO CHATO

 

 

Negro Gato

 

Gerson Combo e Getúlio Cortes

 

 

Eu sou um negro gato de arrepiar

 

Essa minha história é mesmo de amargar

 

mesmo de um telhado, aos outros desacato

 

Eu sou um negro gato (2x)

 

Minha triste história, vou lhes contar

 

E depois de ouvi-la, sei que vão chorar

 

tempos que eu não sei o que é um bom prato

 

Eu sou um negro gato (2x)

 

Sete vidas tenho, para viver

 

Sete chances tenho, para vencer

 

Mas se não comer, acabo num buraco

 

Eu sou um negro gato (2x)

 

Um dia no morro, pobre de mim

 

Queriam a minha pele, para tamborim

 

Apavorado desapareci no mato

 

Eu sou um negro gato (2x)

 

 

Bibliotecário Chato

 

Fernando Modesto

 

 

Eu sou um bibliotecário chato de arrepiar

 

Em minha atividade sei bronquear

 

não tolero usuário que faça         desacato

 

Eu sou um bibliotecário chato                           

                               tecário chato

Na minha biblioteca não pode celular

 

Se ouvir muita conversa, vou reclamar

 

tempos não aceito nem barulho de solado

 

Eu sou um bibliotecário chato

                            tecário chato

O acervo  tenho para satisfazer

 

O serviço tenho para atender

 

Mas se não for educado, encho o saco

 

Eu sou bibliotecário chato

                      tecário chato

Um dia no balcão,  usuários sobre mim

 

Queriam entrar de sacola e até tamborim

 

Irado bronqueei no ato

 

Eu sou um bibliotecário chato

                            tecário chato

Autor: Gerson Combo e Getúlio Cortes - Versão: Fernando Modesto

   25 Leituras


author image
FERNANDO MODESTO

Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.