BIBLIOCANTOS


BAILES DA VIDA

Bailes da Vida

M. Nascimento - F. Brant

 

Foi nos bailes da vida, ou num bar em troca de pão

 

Que muita gente boa pôs o na profissão

 

De tocar um instrumento e de cantar

 

 

Não importando se quem pagou quis ouvir, foi assim

 

Cantar era buscar o caminho que vai dar no sol

 

Tenho comigo as lembranças do que eu era

 

Para cantar nada era longe, tudo tão bom

 

'Té a estrada de terra na boléia de caminhão, era sim

 

Com a roupa encharcada e a alma repleta de chão

 

Todo artista tem de ir aonde o povo está

 

Se foi assim, assim será

 

Cantando me disfarço e não me canso de viver nem de cantar

Bibliotecas da vida

Fernando Modesto

 

Foi nas bibliotecas da vida ou num centro de documentação

 

Que muita gente boa adentrou na profissão

 

De adotar um instrumento e de organizar

 

Não importando se quem perguntou quis ouvir,  foi assim

 

Informar é buscar a fonte que vai ser o sol

 

Tenho comigo as informações de uma era

 

Para recuperar nada era longe, com acesso tão bom

 

Té a consulta de ficha impressa com a mão,            era assim

 

Com a roupa empoeirada mas a alma repleta de paixão

 

Todo bibliotecário tem de ir aonde o povo está

 

Se for assim, assim será

 

Informando o usuário não me canso de  aprender nem de ensinar

Autor: Fernando Modesto

   23 Leituras


author image
FERNANDO MODESTO

Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.