GERAL


PUBLICAR E COMPARTILHAR

  • Autor não informado
  • Setembro/2009

Agência FAPESP – A publicação de artigo em periódico científico é, tradicionalmente, a principal forma de divulgação dos resultados de uma pesquisa. Mas o processo de aprovação por parte dos avaliadores e editores, para ser bem feito, exige bastante tempo.

 

Na maioria das vezes são necessários meses, ou mais de um ano, entre o envio de um trabalho a uma revista, sua aceitação e as etapas necessárias para a publicação. Diante de tal cenário, o aumento tanto na capacidade de processamento de dados por computadores como na velocidade de transmissão da informação por conta da internet tem levado a uma necessidade de mudança no processo de publicação científica.

 

A capa da edição desta quinta-feira (10/9) da revista Nature destaca esses desafios indo além e voltando um pouco, ou seja, abordando tanto a pré como a pós-publicação. Dois artigos e um editorial abordam a importância de se compartilhar dados resultantes dos trabalhos de pesquisa ou mesmo dos processos de análise que ainda não reverteram em qualquer tipo de conclusão.

 

Os editores da revista destacam que dividir o conhecimento acumulado é essencial para o progresso da ciência, mas que os pesquisadores nem sempre liberam dados ou informações sobre materiais usados de pesquisa, mesmo após a publicação de seu trabalho.

 

“Cada vez mais frequentemente, o sucesso de um projeto de pesquisa é medido não apenas pelas publicações que produz, mas também pelos dados que torna disponível para uma ampla comunidade. Arquivos pioneiros como o GenBank têm demonstrado como esses dados legados podem ser poderosos para a geração de novas descobertas, especialmente quando informações de muitos laboratórios são combinadas e analisadas de maneiras que os pesquisadores originais não poderiam ter antecipado”, destaca a Nature.

 

Dois encontros realizados em maio – um em Toronto (Canadá) e outro em Roma (Itália) – reuniram dezenas de cientistas de áreas diferentes, mas com um objetivo comum: discutir a necessidade de compartilhar dados resultantes de projetos de pesquisa.

 

O grupo do Toronto International Data Release Workshop também ressalta as iniciativas na área de genômica. “Uma das lições do Projeto do Genoma Humano foi o reconhecimento de que divulgar dados amplamente antes da publicação pode ser de enorme valor para o empreendimento científico e levar a benefícios para a sociedade.”

 

“Esse é o caso especialmente quando há uma comunidade de cientistas que pode usar de forma produtiva os dados rapidamente divulgados – muito além do que os produtores dos dados poderiam fazer no mesmo tempo e também com propósitos científicos não previstos originalmente pelo projeto”, afirmam.

 

O grupo que se reuniu no Canadá propõe que os princípios da pré-publicação – ou seja, da divulgação de dados reunidos antes de qualquer publicação – presentes na genômica deveriam ser estendidos a outros grandes repositórios de informação em outras áreas da biologia e da medicina.

 

Os autores concordam que um período de carência possa ser permitido, caso seja solicitado, de modo a permitir que os produtores dos dados possam analisar e publicar resultados, mas que isso seja limitado a um ano.

 

O grupo também sugere uma série de práticas para pesquisadores, agências de fomento e editores de revistas a respeito do compartilhamento de dados. Os princípios estão disponíveis em um fórum on-line, que aceita contribuições de pesquisadores, no endereço http://tinyurl.com/lqxpg3.

 

O grupo internacional de cientistas que usam camundongo como modelo de estudo, que se reuniu em Roma com editores e representantes de órgãos de fomento, relatou experiências acumuladas em seis décadas de compartilhamento de dados, comum aos pesquisadores da área.

 

Segundo eles, os dois maiores problemas para esse compartilhamento são as barreiras criadas pelos países para a transferência de material e a subutilização de repositórios de dados sobre camundongos, devido principalmente à falta de investimentos em tecnologia de armazenamento e de distribuição.

 

O grupo defende o uso de metadados e que organizações de fomento à pesquisa, periódicos e pesquisadores trabalhem em conjunto com o objetivo de desenvolver melhores usos de repositórios públicos de dados científicos.


Os artigos Prepublication data sharing e Post-publication sharing of data and tools podem ser lidos por assinantes da Nature em www.nature.com.

Fonte: Clique Aqui
Divulgado por Adriano – Enviado para “bibliotecas universitarias” em 10/09/2009

   21 Leituras


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.