GERAL


BIBLIOTECAS PARQUE REABREM, MAS NÃO EMPRESTAM LIVROS

  • Autor não informado
  • Maio/2018

As bibliotecas parque da Rocinha e de Manguinhos reabriram — ambas com a presença ilustre do governador Luiz Fernando Pezão —, mas não emprestam um só livro. As duas unidades, que juntas têm 40 mil exemplares, estão sem internet e, por isso, não podem acessar o sistema de empréstimo. Além disso, algumas partes desses equipamentos culturais seguem fechados ao público.

— A biblioteca da Rocinha não atinge um décimo da potência que ela tem — diz Dione Prado, de 45 anos, coordenadora de um projeto social que dá aulas de teatro no espaço.

As unidades ficaram fechadas por um ano e quatro meses devido à falta de recursos do estado. Os espaços eram administrados por uma organização social que também era responsável pelas unidades de Niterói (reaberta pela prefeitura), do Complexo do Alemão e do Centro. As duas últimas estão fechadas. Entre 2014 e 2016, o estado gastou R$ 62 milhões — R$ 20,6 milhões por mês — com os contratos. Os espaços ficavam abertos de terça a domingo das 10h às 20h.

Há dois meses, o governo do estado conseguiu reabrir as duas bibliotecas. Houve cerimônia no dia 19 de fevereiro na Rocinha e no dia 29 de março em Manguinhos. Nos dois eventos, discursaram o governador Pezão, o atual secretário estadual de Cultura, Leandro Sampaio Monteiro, e o deputado e ex-gestor da pasta André Lazaroni.

O estado, no entanto, ainda não contratou uma organização social para administrar os locais. A solução foi tirar funcionários de outras funções para alocá-los nas bibliotecas. Na prática, não há pessoal suficiente para cobrir todas as necessidades. Por isso, alguns espaços das bibliotecas não podem ser abertos, e o horário de funcionamento foi reduzido a segunda a sexta, de 9h às 17h.

A professora de dança do ventre Safira Alhamad, que dá aula na Rocinha, acredita que a abertura aconteceu por razões políticas.

— Na cerimônia, foi aquela rasgação de seda só para dizer que estão fazendo algumas coisas para a comunidade. Reabriu por reabrir, porque não funciona realmente.<MW>

Secretaria não dá prazo

Quando reabriu a biblioteca da Rocinha, Pezão afirmou que até o dia 1º de maio reabriria a do Centro, que continua fechada. Quando reinaugurou a de Manguinhos, o governador prometeu reabrir também a do Alemão, mas não deu data.

Marcelo Crivella prometeu, durante a campanha para prefeito, assumir a gestão desses equipamentos, mas não cumpriu, alegando falta de verba.

A Secretaria estadual de Cultura não informou por que as unidades não estão oferecendo todos os serviços nem quando eles voltarão a funcionar. Também não respondeu quando e em que condições as outras bibliotecas serão reabertas.

Saiba o que funciona

Consulta: As bibliotecas da Rocinha e de Manguinhos estão abertas apenas para consulta do acervo no local.

Desconectados: Sem internet, computadores disponíveis para consultas estão sem uso.

Sem pessoal: Alguns espaços ficam às vezes fechados, como a videoteca da Rocinha, por falta de funcionários.

Atendimento: Alguns projetos sociais estão funcionando. O Ballet Manguinhos, por exemplo, está utilizando o espaço. Na Rocinha, há um grupo de teatro, um de valsa e outro de dança do ventre funcionando.

Manguinhos: A biblioteca infantil e o 2º andar estão fechados.

Rocinha: O espaço está fazendo, uma vez por semana, às quintas, uma sessão de cinema gratuita

Fonte: extra.globo.com 22/04/2018


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.