GERAL


UMA LEI PARA INIBIR ASSÉDIO NAS UNIVERSIDADES


O Senado do Chile aprovou em 20 de agosto [2019] um projeto de lei com o intuito de forçar as universidades apoiadas pelo Estado a criar um protocolo detalhado sobre como lidar com denúncias de assédio sexual, especialmente aquelas que envolvem estudantes e alunos de pós-graduação que não fazem parte do quadro de funcionários dessas instituições. O projeto, que ainda precisa ser ratificado pelos deputados chilenos no próximo ano antes de entrar em vigor, enfatiza a necessidade de as universidades adotarem uma definição concreta do que é assédio e estabelecerem punições duras para os assediadores. Até mesmo a possibilidade de corte de verbas públicas para as universidades que não implementarem medidas nesse sentido faz parte está iniciativa. O projeto de lei atende a um pedido de uma associação de pesquisadoras do país que trabalha em prol da igualdade de gênero nas universidades chilenas. Um estudo feito em 2017 pela Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica (Conicyt), agência nacional de fomento à pesquisa, indicou que 41% das pesquisadoras e 39% das estudantes entrevistadas haviam recebido elogios com cotação sexual em ambiente acadêmico. 


Fonte: Pesquisa FAPESP, ano 20, n. 283, p. 17, set. 2019

   86 Leituras


Próximo Ítem

author image
UNA BIBLIOTECARIA SALVÓ LA VIDA DE 55 PERSONAS CUANDO UN PISTOLERO ABRIÓ FUEGO EN UNA ESCUELA SECUNDARIA DE FLORIDA Y MATÓ A 17 PERSONAS.
Janeiro/2020

Ítem Anterior

author image
RELATÓRIO DE CPI DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS SUGERE COBRANÇA DE MENSALIDADE
Novembro/2019



author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.