PRINCIPAL
COLUNAS
CURIOSIDADES
DESBASTANDO O ACERVO E OUTROS TRECOS DA BIBLIOTECONOMIA
EXPERIÊNCIAS
GENERALIDADES
MERCADO
NOTÍCIAS
TEXTOS
PESSOAL
DISCIPLINAS
CADASTRO
CONTATO
NOTÍCIAS

LIVROS “SOMEM” DE BIBLIOTECAS EM ESTAÇÕES DE CURITIBA
[09/05/2013]

Estelita Hass Carazzai

 

Um mês depois da inauguração das tubotecas – pequenas bibliotecas dentro das estações-tubo do transporte público de Curitiba -, os livros vêm sumindo das prateleiras.

 

O empréstimo de obras, que ficam em prateleiras abertas ao público, não requer cadastro nem prazo de devolução.

 

Em três das dez tubotecas, mantidas pela prefeitura, a Folha encontrou as prateleiras vazias. Cada ponto tem capacidade é para 150 livros.

 

Cobradores das estações afirmaram que “dificilmente” os livros volta. “Nunca vi devolverem”, disse um deles.

 

Como não há prazo para a devolução, a prefeitura não fala em furtos. Afirma que as prateleiras demonstram o sucesso do projeto.

 

“Qualquer página lida é uma vitória num país de poucos leitores”, diz Marcos Cordiolli, presidente da Fundação Cultural de Curitiba, vinculada à administração.

 

“A proposta é diferente das bibliotecas, que precisam de um acervo. O importante é fazer o livro circular.”

 

Os livros disponíveis foram recebidos por doações. A maioria é de literatura nacional e áreas de história e ciência. Até o final do ano, a meta é chegar a 100 mil livros.

 

Em outra tuboteca, essa com obras disponíveis nas prateleiras, a reportagem encontrou a auxiliar administrativa Maira Umlauf, 29, devolvendo um livro e escolhendo outro.

 

Ela já pegou nove emprestados e doou cinco. Quando faz uma doação, adota uma prática comum: coloca nas páginas os dizeres “Pertence à Tuboteca”. “Eu sempre escrevo, para que as pessoas saibam que é público”, diz.



(Fonte: Folha de São Paulo, Cotidiano 2, p.6, 27/04/2013)



Desenvolvido por LLT Hosting & Development © Info Home 2005