GERAL


AMAZON REVELA NÚMEROS E DADOS DE HÁBITOS DE COMPRAS DE CONSUMIDORES

  • Autor não informado
  • Fevereiro/2017

Leonardo Neto

 

Parodiando Shakespeare, a Amazon sabe muito mais sobre seus consumidores do que pode imaginar a nossa vã filosofia. E a varejista acaba de compartilhar alguns desses conhecimentos com o mundo. Pelo menos os dados apurados na terra do bardo. É que a Amazon britânica acaba de divulgar o Summer 2016 Trends Report, um relatório em que mostra, por área de atuação, o perfil de seus consumidores. Revela, por exemplo, que a cidade de Norwich, no Leste da Ilha, é a cidade dos apaixonados. Foi a praça onde a Amazon mais vendeu produtos relacionados ao amor justo no Dia dos Namorados, ou que, em abril, houve um crescimento de 1.600% nas vendas de escovas de cabelo e que as britânicas trocaram as madeixas loiras pelas castanhas, já que as vendas de tintura nessa cor dobraram em comparação ao ano anterior.

 

Na área dos livros impressos, o relatório mostra que os títulos de alimentação saudável lideraram a lista de mais vendidos, mostrando que os britânicos estão preocupados em manter a saúde e o corpo em dia. O livro Lean in 15, do #WebFitnessCelebrity Joe Wicks (a Rocco deve publicar este título em fevereiro do ano que vem), encabeça o Top 10 dos livros impressos. As posições 2, 3 e 4 também são livros relacionados a alimentação (todos eles inéditos no Brasil): Foolproof cooking, de Mary Berry; Deliciously Ella – every day, de Ella Mills, e The 8-week blood sugar diet, de Michael Mosley, respectivamente.

 

Entre os e-books, a Amazon britânica revela que dois dos 10 títulos mais vendidos vieram do KDP, plataforma de autopublicação da gigante de Seattle. No topo dos e-books mais vendidos, está Behind closed doors, de Paris BA, seguido por The girl in the ice, de Robert Bryndza, e The teacher, de Katerina Diamond. Todos os três primeiros da lista estão inéditos no Brasil.

 

A Amazon - sempre avessa a publicar números - revelou 48% do total de suas vendas foram realizadas por parceiros comerciais, através de seus marketplace. Esses varejistas terceirizados e a própria Amazon movimentaram 150 milhões de itens diferentes e empregaram 74 mil pessoas no Reino Unido. Só em exportações, a Amazon e seus parceiros de marketplace venderam 1,4 bilhão de Libras. As vendas para países membros da União Europeia apresentaram crescimento de 33% em relação a 2015. Um dado importante para esse pós-Brexit.

 

Por e-mail e via assessoria de imprensa, o PublishNews procurou a Amazon brasileira para saber se há previsão de publicar por aqui algo semelhante. Até o fechamento desta edição, não obtivemos retorno.

Fonte: Publishnews - 06/07/2016


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.