BIBLIOCANTOS


EU QUERO É BOTAR MEU BLOCO NA RUA/EU QUERO É BOTAR CATÁLOGO NO GOOGLE

 

Eu Quero É Botar Meu Bloco Na Rua

Sérgio Sampaio

Há quem diga que eu dormi de touca

Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga

Que eu caí do galho e que não vi saída

Que eu morri de medo quando o pau quebrou

 

Há quem diga que eu não sei de nada

Que eu não sou de nada e não peço desculpas

Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira

E que Durango Kid quase me pegou

 

Eu quero é botar meu bloco na rua

Brincar, botar pra gemer

Eu quero é botar meu bloco na rua

Gingar, pra dar e vender

 

 

Eu, por mim, queria isso e aquilo

Um quilo mais daquilo, um grilo menos disso

É disso que eu preciso ou não é nada disso

Eu quero é todo mundo nesse carnaval

 

Eu quero é botar meu bloco na rua

Brincar, botar pra gemer

Eu quero é botar meu bloco na rua

Gingar, pra dar e vender

Eu Quero É Botar Catálogo no Google

Versão Fernando Modesto

 

Há quem diga pra que ir a biblioteca

Que ali não tem nada, que ali não há noticia

Que eu como bibliotecário não tenho saída

Que eu me digitalize pois o mundo todo mudou

 

Há quem diga que eu não sirvo de nada

Que eu não crio nada e que só peço

desculpas

Que eu não gosto de muvuca, mas que meu acervo é besteira

E que o Grande Hit digital me naufragou

 

Eu quero é botar meu catálogo no Google

Deixar, registro aparecer

Eu quero é botar meu OPAC no Google

Olhar, usuário buscar e aparecer

 

Eu sigo, isto ou aquilo

Um modismo mais daquilo, um modismo faço isto

Nem sei do que preciso ou informação é nada disso

Eu quero o mundo no meu ambiente informacional

 

Eu quero é botar meu catálogo no Google

Deixar, registro aparecer

Eu quero é botar meu OPAC no Google

Olhar, usuário buscar e aparecer

Autor: Fernando Modesto

   102 Leituras


author image
FERNANDO MODESTO

Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.