PRINCIPAL
COLUNAS
CURIOSIDADES
DESBASTANDO O ACERVO E OUTROS TRECOS DA BIBLIOTECONOMIA
EXPERIÊNCIAS
GENERALIDADES
MERCADO
NOTÍCIAS
TEXTOS
PESSOAL
DISCIPLINAS
CADASTRO
CONTATO
NOTÍCIAS

O SONHO DA BIBLIOTECA UNIVERSAL PRESTES A SER REALIZADO
[15/11/2007]

Stela Maris

 

Unesco e Biblioteca do Congresso dos EUA assinam acordo para criar biblioteca digital mundial

 

Na última quarta-feira, 17 de outubro, durante a 34ª Conferência Geral da UNESCO, que aconteceu em Paris, foi anunciado um acordo entre a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos e a Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência.  O acordo assinado pelo Diretor-Geral Assistente para Comunicação e Informação da Unesco, Abdul Waheed Khan e pelo Bibliotecário da Biblioteca do Congresso Americano, James H. Billington, prevê a criação da maior biblioteca gratuita on-line do mundo totalmente acessível pela Internet, a World Digital Library (WDL).

 

O projeto foi desenvolvido com instituições parceiras: Biblioteca Alexandrina, Biblioteca Nacional do Egito, Biblioteca Nacional do Brasil, Biblioteca Nacional da Rússia e Biblioteca do Estado Russo. E conta com os esforços do Google, que está digitalizando acervos de diversas bibliotecas. O site Google é um dos mais atuantes nesse processo. Em 2004, anunciou a Pesquisa de Livros, projeto de digitalização do acervo de milhares de bibliotecas e editoras. A iniciativa enfrentou resistência dos protetores de direitos autorais. Mas o Google defendeu-se e demonstrou que os usuários teriam acesso apenas a trechos dos títulos protegidos por copyright. Somente os textos em domínio público seriam exibidos na íntegra. Com essa justificativa a idéia acabou sendo aceita. “Fornecemos uma degustação dirigida do livro”, diz Rodrigo Velloso, gerente da Pesquisa de Livros do Google no Brasil.

 

A Biblioteca Nacional é a única da América Latina convidada para participar do desenvolvimento do portal e uma das fundadoras da iniciativa, a BN participa do projeto com a Colecção D. Thereza Christina Maria, doada por D. Pedro II à FBN. O material tornou-se o primeiro conjunto documental brasileiro considerado patrimônio da humanidade, quando foi inscrito no Registro Internacional da Memória do Mundo da Unesco, no ano de 2003. Mapas e cartas náuticas dos séculos XVI, XVII e XVIII, que mostram antigas fronteiras do continente, além de registros fotográficos raros do país do século 19, também estão dentre as publicações brasileiras.

 

O objetivo da construção da Biblioteca mundial digital é promover o intercâmbio cultural em todo o mundo, aumentar a qualidade e diversidade dos conteúdos culturais na Internet, e contribuir para a educação. Como também nutrir a Internet com fontes confiáveis de conhecimento.

 

De acordo com o Diretor-Geral da Unesco, Koïchiro Matsuura as bibliotecas são fontes essenciais de informação - "Bibliotecas são atores fundamentais para garantir o acesso universal à informação e ao conhecimento na construção de sociedades".

 

Um aspecto importante do projeto é capacitar países em desenvolvimento na construção de bibliotecas digitais, a fim de possibilitar a participação de todos os países na World Digital Library.

 

Há algumas décadas esse projeto seria uma utopia: construir a biblioteca universal, colocando em rede toda a memória cultural do mundo. No entanto, a idéia não é nova, em 1971 o estudante universitário Michael Hart acreditou que um dia computadores estariam acessíveis ao público em geral e decidiu disponibilizar obras de literatura em formato eletrônico de graça. Usou uma cópia da Declaração de Independência dos Estados Unidos que tinha na sua mochila, produzindo o primeiro e-book. Assim, Hart criou o Projeto Gutemberg que é a mais antiga biblioteca digital. Anos mais tarde, em 2005, a Biblioteca do Congresso dos EUA lançou a idéia de digitalizar registros das maiores culturas do mundo.

 

Diante dessa nova realidade, os usuários terão ao seu dispor mapas, fotografias e manuscritos digitais, com textos explicativos, inicialmente estarão disponíveis em sete idiomas: português, árabe, chinês, espanhol, russo, inglês e francês. Já na segunda fase, serão disponibilizados aos usuários livros dos mais diversos temas, tais como filosofia, história, religião e ciência.

Acesse o site da Biblioteca Digital Mundial  http://www.worlddigitallibrary.org

 

Stela Maris — Última modificação 25/10/2007 03:09



(Divulgado por Stela Maris – Enviado para Infohome em 22/10/2007)


Desenvolvido por LLT Hosting & Development © Info Home 2005