GERAL


QUAL A PRIORIDADE?

  • Autor não informado
  • Março/2010

Pesquisa indica que brasileiros gastam mais com informática, telefonia e lazer do que com hábito de leitura.

 

A pesquisa "O Livro no Orçamento Familiar", encomendado por entidades como Sindicato Nacional de Editores de Livros (Snel) e Câmara Brasileira do Livro, concluiu que 40,7% das famílias do país compram algum material de leitura. Mas gastos com livros, revistas e jornais estão muito aquém de outras despesas tidas como "não essenciais".

 

O estudo, baseado em dados do IBGE de 2002 a 2003, aponta que os gastos dos brasileiros com informática e eletrônicos (DVDs, vídeo, som, jogos etc.) lidera a lista de prioridades brasileiras, movimentando R$ 19,303 bilhões. Em segundo lugar, vem o celular (R$ 8,816 bilhões). Em terceiro, opções de lazer fora de casa, com R$ 6,154 bilhões. Em último está a leitura, com R$ 5,471 bilhões das despesas. Foram entrevistadas 50 mil famílias em todo o país.

 

Fotocópia

 

Entre revistas, jornais, livros didáticos e não didáticos, fotocópias, dicionários e apostilas, o item revista é o mais consumido. Responde por R$ 42 em média no orçamento anual das famílias. Com jornais, o gasto é de R$ 17, ao passo que, com livros didáticos, é de R$ 11 ao ano. Concluiu-se que as despesas com revistas e jornais equivalem a 52,3% do total de gastos com leitura do brasileiro, enquanto os livros didáticos respondem por somente 19,6%.

 

Não bastasse a lanterninha na lista de prioridades, o livro sofre a concorrência das fotocópias, a maior parte feita nos estabelecimentos de ensino. Do total de gastos das famílias com materiais de leitura, 10,1% vão para os livros não didáticos, e 9,7% para fotocópias - quase a mesma proporção. O gasto em xerox é maior em famílias com estudantes, indicando o êxito na substituição de obras originais por cópias.

 

Desde 2003 muita coisa mudou nos hábitos de consumo brasileiros. A aquisição de computadores, por exemplo, quase dobrou nos domicílios entre 2001 e 2007 (de 16,6% para 27.4%). A pesquisa fortalece a ideia de que a melhoria da distribuição de renda e dos níveis de escolaridade não necessariamente garante aumento no consumo de livros. Isso porque a "folga" no orçamento pode ter sido canalizada para a aquisição de bens com maior apelo de consumo, como TVs de LCD e computadores portáteis.

 

Gastos das famílias brasileiras 2001-2007

 

Informática, eletrônicos (DVD, vídeo, som, jogos etc.) - R$ 19,303 bilhões

Telefonia celular - R$ 8,816 bilhões

Lazer fora de casa - R$ 6,154 bilhões

Materiais de leitura (livros, revistas, jornais etc.) - R$ 5,471 bilhões

Fonte: Língua Portuguesa, v.4, n.49, p.7, nov. 2009


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.