PRINCIPAL
COLUNAS
CURIOSIDADES
DESBASTANDO O ACERVO E OUTROS TRECOS DA BIBLIOTECONOMIA
EXPERIÊNCIAS
GENERALIDADES
MERCADO
NOTÍCIAS
TEXTOS
PESSOAL
DISCIPLINAS
CADASTRO
CONTATO
NOTÍCIAS

PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA CRESCE COM A PÓS-GRADUAÇÃO
[23/03/2006]

Adriane Cunha

 

Os avanços registrados nos últimos três anos na pós-graduação brasileira tiveram reflexo na produção científica nacional. O Brasil vem aumentando sua contribuição no cenário mundial graças ao aumento da quantidade de cursos, alunos, titulados e instituições que oferecem cursos reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (Capes/MEC), que por sua vez contribuem diretamente para o fortalecimento do setor científico e tecnológico nacional. Os pesquisadores brasileiros produziram, em 2005, 1,8% do conhecimento científico do mundo; em 2002, o percentual era de 1,5% do total.

 

De acordo com o levantamento da Capes, cerca de 85% do total da produção científica nacional é realizada pela pós-graduação. O total de cursos de mestrado, doutorado e mestrado profissional aumentou de 2.311, em 2000, para 2.964, em 2004, e 3.325, em 2005. O número de cursos de mestrado, por exemplo, cresceu 12% de 2004 para 2005. Em 2003, a área de medicina ultrapassou a física na produção de artigos científicos. A medicina produziu 2.508 artigos e a física 2.204. Muitas dessas descobertas se transformam em benefícios para a sociedade em forma de medicamentos, por exemplo.

 

O número de alunos da pós-graduação também subiu: de 96.618, em 2000, para 112.938, em 2004. Já o número de titulados cresceu de 23.708, em 2000, para 36.788, em 2004 (18,1 mil para 25,9 mil com mestrado, 5,3 mil para 8,8 mil com doutorado e 241 para 1,9 mil com mestrado profissional). Em relação ao número de instituições de ensino superior (IES) que oferecem cursos de pós-graduação, o balanço revelou um acréscimo de 16, entre 2003 e 2004 (de 394 para 409 IES).

 

Bolsas - A Capes aumentou o número de bolsas de estudo concedidas para brasileiros: de 24.593, em 2002, para 28.120, em 2005. No mesmo período, o valor da bolsa foi reajustado em 18% depois de nove anos sem alteração. A agência também tem firmado parcerias com Fundações de Amparo à Pesquisa de diversos Estados, entre eles, Sergipe, Paraná, Pernambuco, Mato Grosso, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, para ampliação do sistema nacional de pós-graduação. A Capes contribui com recursos e os Estados entram com outra parte dos investimentos. O objetivo é ampliar o número de bolsas e qualificar os programas de pós-graduação de todo país.

 

 

 



(Fonte: NOTÍCIAS CAPES N. 43)
(Divulgado por Regina Marteleto – Enviado para “Ancib” em 15/03/2006)


Desenvolvido por LLT Hosting & Development © Info Home 2005