GERAL


EXAME DO CREMESP REPROVA 38% DOS ESTUDANTES DE MEDICINA

  • Autor não informado
  • Maio/2007

O Cremesp (Conselho Regional de Medicina de São Paulo) divulgou nesta terça-feira o resultado final da avaliação de estudantes do sexto ano dos cursos de medicina do Estado. A notícia boa é que todos os estudantes que realizaram a segunda fase foram aprovados. A ruim é que eles representam menos de 40% do total de alunos que iniciou o exame.

O Estado de São Paulo tem 2.200 alunos estudando no sexto ano do curso. Destes, 688 realizaram a primeira fase do exame, no ano passado. O resultado foi 427 aprovados para a segunda fase, dos quais apenas 265 realizaram e passaram. O número de reprovados na primeira fase – 261 – representa 37,9% do total.

Como a participação no exame é facultativa, o Cremesp considera que os melhores alunos de cada universidade são os que comparecem, o que torna o resultado mais preocupante. O resultado do exame deste ano foi semelhante o de 2005. Nos dois casos, o exame foi experimental, segundo o conselho.

Os estudantes aprovados no exame do Cremesp recebe um certificado, mas a reprovação não impede que o estudante reprovado exerça a profissão, como acontece com bacharéis em direito que não passam no exame da OAB (Ordem os Advogados do Brasil).

*Ranking*

O Cremesp elaborou médias apenas para as faculdades que tiveram mais de 20 alunos presentes à segunda fase. A mais bem colocada foi a Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo, com média de 83,74% de acerto. Dos 91 formandos da faculdade, 53 compareceram.

O segundo lugar foi ocupado pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), que teve média de 82,17% de acerto, com cem dos 115 estudantes participando do exame. Em terceiro lugar ficou outra universidade pública, a USP, cujos 34 alunos que participaram da prova tiveram média de 80,94%. A USP tem 160 estudantes no sexto ano.

Fonte: Folha Online
Divulgado por Enviado para “3.setor” em 26/01/2007


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.