ONLINE/OFFLINE


A REINVENÇÃO DA BIBLIOTECA PÚBLICA: DESCRIÇÃO DE CASO

Tecnologias aplicadas na sociedade geram impactos. Bibliotecas são organismos sociais dedicados à organização do conhecimento e das informações. Enquanto organismos, elas se caracterizam por promover intercâmbios contínuos com a sociedade. Também sofrem influências significativas de caráter cultural, econômico, científico e tecnológico. Impactadas pelas transformações tecnológicas e culturais, as bibliotecas têm a necessidade de reestruturar os seus serviços e produtos. Devem também buscar capacitação profissional e o aprimoramento na relação com a comunidade usuária.

Neste contexto, encontrei uma nota sobre biblioteca pública, situada na Ucrânia (leste europeu). Nesse país, todas as cidades, vilas e distritos possuem uma biblioteca. São cerca de 15.000 agências para uma população de 44,13 milhões de habitantes (2020, Banco Mundial). Em termos comparativos, o Brasil está distante.

Entretanto, há algo que se assemelha com as bibliotecas brasileiras. Embora o número de bibliotecas signifique que se tenha uma unidade próxima aos ucranianos, essas são pouco notadas. Isso decorre do amplo acesso aos recursos de Internet que cresce constantemente.

Apesar dos pesares, há exceções. Na cidade de Kherson, no sul da Ucrânia, uma biblioteca tem contrariado a tendência de indiferença social. Trata-se da biblioteca “Borys Lavrenyov”, “Lavrenyov” ou “Lavrenyovka”, como é carinhosamente chamada.  Ela conseguiu atingir dois objetivos: atender às necessidades da comunidade local ao se tornar um “centro” público multifuncional, ao mesmo tempo em que inseriu a cidade, com 290 mil habitantes, no mapa cultural do país. Também se tornou um centro cultural e social pleno ao promover serviços com apelo aos jovens e idosos. O público pode participar de clubes de criatividade, contatar escritores e receber suporte psicológico e jurídico, dentre outras possibilidades.

A biblioteca colabora com escolas ao oferecer atividades educativas e de lazer, com incentivo à leitura. Tem, ainda, cooperação com universidades, realizando ações dirigidas aos estudantes. Entretanto, a “cereja do bolo”, incomuns para uma biblioteca de cidade pequena, são os eventos culturais - incluindo um ambicioso festival de livros. Todo esse desempenho é realizado com uma equipe de 26 bibliotecários.

Nas bibliotecas ucranianas ocorre a simples guarda de livros. Muitas não têm coleções atualizadas, há anos. Aspectos que afetam a popularidade com o público. Essa era a situação da Lavrenyov, que foi fundada em 1980, estando localizada em área residencial distante do centro da cidade. No espaço da biblioteca, o público pode contemplar um mural de Van Gogh, a “Noite Estrelada”, e demais paredes ilustradas com pinturas de artistas locais que lembram os contos de fadas eslavos clássicos. Assim, o ambiente transformou-se de um mero armazém de livros em espaço ativo, de forma orgânica e gradual. A partir de 2006, a equipe decidiu agregar ao trabalho habitual, atividades com os jovens, surgindo a ideia de um núcleo juvenil.

A opção mostrou-se correta. Em 2017, a biblioteca conquistou, pela atividade com jovens, o prêmio “Biblioteca do Ano”, concedido pela Associação de Bibliotecas da Ucrânia. Ela atende, anualmente, a mais de 12 mil leitores, um número significativo quando se considera que a biblioteca nacional infantil, situada na capital Kiev, alcança cerca de 20.000 pessoas por ano.

O embasamento para a busca de um novo foco da biblioteca, surgiu da questão: O que é preciso para uma biblioteca se tornar um centro juvenil? Ao responder o questionamento, observou-se a necessidade de organizar uma variedade de atividades. Este tem sido um desafio, especialmente porque o programa, como outros, foram expandidos sem recursos públicos.

A direção manteve a estrutura existente, com cada setor deliberando sobre o início de cada nova atividade, com base em suas próprias experiências e o interesse de trabalhar em certas áreas. Assim, aconteceram com os clubes, as iniciativas de história local e a participação em festivais, entre outras ações.

O entrosamento e a comunicação constante entre os membros da equipe foi fundamental. Envolveram-se com um ideal, pois mesmo durante a quarentena da pandemia, mantiveram reuniões de planejamento, no Zoom.

O êxito alcançado dependeu deste entusiasmo e da vontade dos bibliotecários em aprenderem coisas novas. Também de serem proativos para inovar, dominar novas habilidades (como criação de conteúdo para o site e mídia social). E, principalmente, realizar tudo isso sem financiamento ou apoio adicional, o que não é tarefa fácil. O maior retorno, foi o interesse social despertado, acompanhado pelo feedback positivo do público.

Ressalte-se que, nas atividades implementadas, muitas coisas não poderiam ser feitas sem a colaboração de voluntários. Voluntariado composto por profissionais e por jovens em busca de experiência e prática. Esses colaboradores não recebem remuneração, a não ser a oportunidade de trabalhar com as curiosidades e demandas do público e que resultam em humana satisfação. Ao tempo que a biblioteca adicionava atividades à programação, confiava na equipe e na participação dos voluntários. Neste esforço, convidaram-se profissionais da região. Além de uma organização sem fins lucrativos voltada para os jovens. A Kherson State University colaborou por meio do seu centro de aconselhamento psicológico, da mesma forma, o Centro de Criatividade Infantil e Juvenil, uma instituição pública estadual.

Quanto ao público, a biblioteca diversificou as ofertas de serviços e produtos o suficiente para encontrar públicos, em especial, entre os jovens e universitários de toda a cidade de Kherson.

Professores primários, em colaboração com a biblioteca, ressaltam o sentimento dos alunos, maravilhados com a atividade decorrente das visitas realizadas duas vezes por mês. Nas visitas, criam-se coisas em conjunto, como: plantação de árvores e flores, ou aprendizado de algo novo. As crianças cobram a ida à biblioteca ou a vinda desta à escola. Mesmo alunos com necessidades especiais têm se beneficiado das atividades. Os encontros idealizados, envolviam ainda sessões de treinamento sobre prevenção de conflitos em famílias e escolas. Para professores os temas tratados ajudaram a reduzir o bullying em sala de aula.

Já, as instituições de ensino superior da região têm os seus membros frequentando a biblioteca para palestras e eventos. Mesmo na quarentena, esse público contatava a instituição para saber dos eventos online destinados a eles.

Mesmo a participação familiar, nas atividades, mostra-se útil. Os pais podem relaxar ou desfrutar da leitura, enquanto os filhos se divertem. Assim, o ambiente bibliotecário não é um lugar só para o público infanto-juvenil, mas também para adultos e idosos. Em realidade, um ambiente comunitário é criado. Neste sentido, durante as restrições da pandemia, os bibliotecários não permitiram que os grupos criativos estagnassem. Aulas e instruções online foram promovidas.

A biblioteca desenvolveu um balcão próprio de turismo ao oferecer passeios pela cidade. Uma atividade incomum nos serviços bibliotecários, em especial, nas bibliotecas ucranianas. O city tour conta com uma bibliotecária aficionada por história local e que o conduz mensalmente ao custo de US$ 1,80 (dólar) por pessoa. Antes da pandemia, os passeios atraiam grupos de 10 pessoas. Mesmo transeuntes casuais ou visitantes solicitavam participação nos passeios. No feedback da iniciativa, o público ressalta o interesse e as informações sobre os logradouros antigos e atraentes da cidade.

As ações da biblioteca receberam elogios do Ministério de Infraestrutura da Ucrânia. Elogios salientando que as bibliotecas não devem ser vistas apenas como lugares para retirar livros, mas espaços públicos onde pessoas de diferentes idades podem se encontrar, aprender e trabalhar.

Ciente da importância da leitura na formação de jovens pensantes, a biblioteca dedica esforços para organizar festivais de livro - outra atividade rara nas bibliotecas ucranianas. Os festivais realizados contam com o apoio das autoridades locais, e acontecem, anualmente, na cidade ou em diferentes regiões do município.

Um destes projetos que atraiu grande atenção foi a turnê literária “Bookwanderings”. Ao longo de cinco meses, em 2019, escritores ucranianos contemporâneos realizaram apresentações e encontros com o público, além de circularem por cidades e vilas da região. Isso permitiu que crianças de áreas remotas participassem de um evento cultural. O que tornou a iniciativa inestimável para as áreas periféricas, carentes de qualquer vida cultural.

As primeiras turnês tiveram de enfrentar a falta de financiamento, mas nas últimas iniciativas realizadas, a biblioteca obteve uma bolsa de US$ 10.750 (dólares) da Fundação Cultural Ucraniana. Os bibliotecários convidaram escritores via Facebook, onde são ativos e interessados em promoções fora de suas cidades. Os eventos foram transmitidos ao vivo, nas redes sociais, com a participação de mais de 17.000 espectadores. Em consequência, as plataformas digitais da biblioteca ganharam 1.000 novos seguidores.

A logística para realização desses eventos não é simples, desde providenciar transporte para convidados, até encontrar substitutos para os autores que adoeceram dias antes das suas apresentações. Neste sentido, os bibliotecários tiveram que agregar novas habilidades e capacidade de gerenciar crises nas rotinas.

Para os escritores participantes, suas perspectivas mudaram em relação à biblioteca e a região. Ficaram fascinados pela energia gerada pela iniciativa, ao criar um espaço cultural interessante e profundo. As ações despertaram, ainda, o interesse da mídia local. O contato com jornalistas possibilitou aos bibliotecários concederem entrevistas regulares sobre eventos culturais.

Para os bibliotecários ucranianos, a abordagem inovadora da Biblioteca Pública Lavrenyov e a diversidade de suas atividades, tornaram-se nacionalmente conhecidas. Ela transformou-se em espaço propositivo, envolto em uma atmosfera social de acolhimento. Entretanto, nem todas as bibliotecas podem conseguir o mesmo sucesso. Um motivo é a ausência de recursos financeiros e quadro de funcionários. Em média, as bibliotecas contam com quatro bibliotecários, o que restringe a capacidade de realizar ações diversificadas como um festival literário completo por conta própria.

Apesar de impressionante, muitas das atividades realizada pela Lavrenyov permanecem frágeis, na sua continuidade. Dependem da paixão pessoal dos envolvidos, e de uma única bolsa de ajuda financeira.

Na Ucrânia, os governos locais são responsáveis por financiarem e manterem bibliotecas. Mesmo nas capitais regionais, as alocações financeiras são insuficientes. Os recursos representam cerca de 0,4% de um orçamento local típico.

A situação tem reflexos nos baixos salários dos bibliotecários, situados entre os mais baixos do setor público. Reflexos, também, na realidade das bibliotecas que raramente podem usar seus parcos fundos para algo além do essencial. Na busca por um pouco de renda adicional para suas operações, as bibliotecas podem cobrar, dos usuários, o uso do computador, o acesso à Internet ou os serviços de cópia.

No caso da biblioteca Lavrenyovka, a obtenção de recursos financeiros ocorre com o city tour e programas infantis de verão, além de serviços de impressão e cópia. Todos os demais serviços são grátis.

Outra situação delicada enfrentada, é a dependência de voluntários. Embora a equipe bibliotecária seja grata pela ajuda, nem todos os colaboradores podem ou estão dispostos a trabalhar de graça, apesar do entusiasmo com as ações.

A pandemia afetou o planejamento da biblioteca e a forçou a buscar oportunidades no ambiente online. A equipe precisou de maior proatividade com o conteúdo destinado aos leitores desfrutarem durante o distanciamento social. Em setembro de 2020, ela realizou o seu primeiro festival online “Descubra seu livro”. O formato digital possibilitou a participação social, na segurança das casas. Observa-se, agora, que para trazer o público de volta, é necessária adaptação às novas realidades. Para sobreviver, precisam mudar. A regra colocada é: “Adapte-se ou morra”, a evolução, também funciona para as bibliotecas.

A existência da biblioteca Lavrenyovka não é um milagre e seus bibliotecários não são super-heróis. O êxito em responder às necessidades da comunidade tem sido o princípio norteador da sua reinvenção. Assim, acredita-se que tudo se resume a ouvir o que as pessoas comentam, o que os colegas dizem, o que está sendo dito nas escolas e universidades. Quando você ouve o público, as respostas para o que fazer vêm por conta própria.

Indicação de leitura:

Smahina, M. Ukrainian library reinvents itself for a New Age. Global Voices, 6 August 2021. Disponível em: https://bit.ly/2XjIX3K

Silva, J. F. M.; Barros, M. H. T. C.; Sousa, R. C. A biblioteca pública em contexto: cultural, econômico, social e tecnológico. Brasília, DF: Thesaurus, 2015.


   101 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
APLICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE MÁQUINA EM BIBLIOTECA
Novembro/2021

Ítem Anterior

author image
QUALIDADES BÁSICAS PARA O BIBLIOTECÁRIO DE CATALOGAÇÃO
Setembro/2021



author image
FERNANDO MODESTO

Bibliotecário e Mestre pela PUC-Campinas, Doutor em Comunicações pela ECA/USP e Professor do departamento de Biblioteconomia e Documentação da ECA/USP.