LEITURAS E LEITORES


LIVROS PARA BEBÊS: DO NASCIMENTO AOS 3 ANOS DE IDADE

A criança, do nascimento aos três anos de vida, passa por grandes transformações, às vezes são lentas outras muito rápidas, por isso, a formação de uma criança, principalmente, nesses anos iniciais de vida, exige atenção, acompanhamento e ensinamentos constantes da prática sociocultural em que ela está inserida. 

 

Nessa fase a criança é muito dependente do adulto, desde a alimentação a cuidados que vão assegurar sua saúde e continuidade da vida. Nos primeiros anos as necessidades biológicas e sociais, aparentemente, se sobrepõem às culturais, entretanto, elas estão presentes em todo o momento na vida da criança.

 

Pais e cuidadores das crianças, nesse período, ensinam à criança como se alimentar; indicam a elas como funciona a vida em sociedade e auxiliam-nas a desenvolver sua linguagem: dos balbucios à fala é um período de grandes transformações na vida do bebê. É por meio do contato com o adulto que a criança aprimora sua linguagem. Assim, pouco a pouco, vão se definindo os papéis da criança na família e na sociedade.

 

A criança, no dia a dia, é levada ao mundo cultural de sua família: música, religião, hábitos e costumes. E é claro que se a família valorizar o livro, desde cedo a criança vai incorporando esse objeto cultural à sua vida.

 

Do nascimento aos 3 anos, a relação da criança com o livro se dará, prioritariamente, no âmbito de reconhecimento do objeto cultural, a que chamamos livro. A criança precisa se acostumar com o livro, aprender a manuseá-lo, pois ainda não tem a noção se ele está de ponta-cabeça, de trás para frente etc. Esse período pode ser considerado como um período de namoro da criança com o objeto-livro.

 

Para o primeiro ano de vida da criança, o livro tem os mais variados formatos, pois nessa fase os livros devem ser para olhar, pegar, sentir e escutar. Até um ano e meio, aproximadamente, ao pegar o livro a criança automaticamente o levará à boca, pois está na fase oral de seu desenvolvimento, ou seja, tudo que pega tenta levar à boca. Por isso a criança poderá ter contato com livros feitos com pano, plástico, borracha e papelão. 

 

Para hora do banho da criança, tanto na família quanto na escola, existe a opção de se utilizar livros de materiais plásticos ou emborrachados que possam ser levados para a banheira e transformar o momento do banho num momento prazeroso de brincadeira e conversa com o bebê. Nesses livros é preciso averiguar se possuem aprovação dos órgãos responsáveis pela saúde da criança (INMETRO), para evitar qualquer dano à saúde da criança, pois se acaso ela os puser na boca, não haja perigo para a sua saúde nem pelo material plástico nem pela tinta da impressão.

 

Esses livros para banho têm poucas páginas, com ilustrações grandes, e pouco ou quase nada de texto, pois mais ou menos até os dois anos, a criança não se fixa em enredo complexo, quase sempre é mais uma leitura compartilhada, onde o adulto mostra para a criança a imagem e repete o nome do que vê.       

 

Nessa mesma estrutura narrativa estão os livros de pano que a criança pode brincar e até dormir com ele, como se fosse um travesseiro, ou ainda livros que mesclam pano e borracha, muitas vezes assemelham-se a chocalhos.

 

Distintos dos livros de banho, os livros de papelão são necessários, pois reforçam para a criança a imagem mais comum do livro. O papelão é resistente e possui uma camada de plástico que o reveste, impermebializando-o, isso auxilia a limpeza do livro, de modo que, se a criança levá-lo à boca, não molhará o papel e, principalmente, o terá higienizado.

 

Há livros de papelão que possuem texturas, por exemplo, apresenta um gato e parte de seu corpo possui pêlo (sintético) para que a criança toque e sinta o pêlo do animal. Outros apresentam a textura do áspero, do trançado etc. Existem ainda aqueles livros que possuem botões que, ao serem pressionados, reproduzem o som de miados, latidos etc.

 

As opções de mercado estão aquém do que o Brasil poderia produzir nessa área, por exemplo, muitos dos livros disponíveis para o banho são traduções estrangeiras impressos na China. O mercado de livros para bebês ainda tem muito que crescer em nosso país, na produção como um todo, desde a escrita até a publicação.

 

O contato com as histórias e os livros desde o primeiro ano de vida promove um acréscimo no desenvolvimento da criança: primeiro, os pais ou professores estão num momento em que direcionam a sua atenção especial àquela criança, direciona seu carinho, há interação física, pois a criança está sentada perto do adulto, ou no colo, ou abraçada etc.; esse contato desperta na criança o sentido de ser amada, querida. Além disso, num segundo momento, a criança tem contato com a linguagem do adulto e vai, pouco a pouco, aprimorando a sua própria, o que é uma condição social imprescindível para sua inserção no mundo. Por último, a entrada da criança no mundo cultural da leitura e do livro.

 


   559 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
A VOLTA ÀS AULAS E A BIBLIOTECA ESCOLAR
Fevereiro/2009

Ítem Anterior

author image
HORACIO QUIROGA: FÁBULAS NA SELVA TROPICAL
Maio/2008



author image
ROVILSON JOSÉ DA SILVA

Doutor em Educação/ Mestre em Literatura e Ensino/ Professor do Departamento de Educação da UEL – PR / Vencedor do Prêmio VivaLeitura 2008, com o projeto Bibliotecas Escolares: Palavras Andantes.