GERAL


LIVROS PERDERAM A EMOÇÃO NAS ÚLTIMAS DÉCADAS, APONTA ESTUDO

  • Autor não informado
  • Dezembro/2016

Pesquisa realizada no Reino Unido releva que os livros estão perdendo as palavras que antes causavam grandes emoções nos leitores

 

De acordo com a pesquisa realizada pela Universidade de Bristol, no Reino Unido, o uso de palavras com conteúdo emocional nos livros tem sido muito reduzida ao longo do século passado. Para chegar a esta conclusão, o antropólogo Alberto Acerbi, analisou a frequência das palavras que expressam o humor em um banco de dados do Google com mais de 5 milhões de livros fornecidos.

 

Essas palavras foram divididas em seis categorias: raiva, nojo, medo, felicidade, tristeza e surpresa. O estudo comprovou que nos últimos cem anos, o número de termos emocionais diminuiu, exceto para as palavras que expressam o medo. Essas tiveram um grande aumento a partir de 1970. Além disso, certos eventos históricos coincidiram com os períodos da literatura que refletiam um clima positivo ou negativo nos livros publicados. Por exemplo, durante a Segunda Guerra Mundial o número de livros publicados com palavras relacionadas à tristeza aumentou consideravelmente.

 

A análise revela ainda que a partir de 1960, a literatura britânica começou a perder conteúdo emocional.

 

O estudo confirma que as expressões dos estados de espírito estão representadas nos livros, e isso é útil para identificar tendências da época, padrões históricos culturais e sua evolução ao longo do tempo.

Fonte: Universida
Divulgado por Eliane Jovanovich – Postado no Facebook

   21 Leituras


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.