LEITURAS E LEITORES


EMPRÉSTIMO DE LIVRO NA BIBLIOTECA ESCOLAR: A CRIANÇA PODE REPETIR O LIVRO?

Vivemos em busca de prolongar nosso prazer: com a família, amigos, nosso lazer, dos amores, enfim, com aquilo que nos faz bem, nos dá boas sensações, sem termos explicação racional. Muitas situações ou momentos, se pudéssemos, repetiriam, mas nem sempre isso é possível.

 

Há vivências que não podemos voltar atrás na vida real, mas na ficção haverá sempre essa possibilidade, por exemplo: rever a novela da temporada anterior; emocionar-se mais de uma vez com o filme preferido, por fim, não faltariam exemplos.

 

Quando isso acontece com adulto, parece normal, habitual, mas se for uma criança a coisa muda de figura e, principalmente, se envolver empréstimo de livro na biblioteca da escola, em especial, na Educação Infantil (a partir dos 04 anos) e nos Anos Iniciais do Fundamental (de 06 a 10 anos).

 

Nesse período de sete anos de escolaridade, que cronologicamente parece curto espaço de tempo, acontecem grandes transformações físicas, psicológicas e, principalmente, com a linguagem da criança. Decorre daí a passagem da comunicação predominantemente oral para a inserção da escrita e, portanto, de todos os objetos culturais que a civilização produziu, dentre eles, os livros.

 

Algumas famílias já viveram situações em que a criança queria assistir a um filme todo dia... chegava a monopolizar o aparelho de TV da família com apenas um único desenho que assistia uma vez, duas vezes... o restante da família até se cansava daquela repetição. A criança, de tanto assistir, decora as falas das personagens, a sequência narrativa. Parece incansável, ou melhor, que nunca enjoará daquela história!

 

Mas há mudança nessa tolerância familiar à medida que a criança vai crescendo e, principalmente, quando se relaciona à escolaridade, em especial, à leitura e ao empréstimo de livros na biblioteca da escola.

 

O impresso tem uma simbologia muito forte na vida atual, pois tudo que queremos oficializar, em algum momento, passa pelo registro da escrita e do impresso. Assim, na infância, os pais estão bastante atentos ao impresso que a criança está utilizando, nos livros que a criança empresta no ambiente escolar.

 

Na escola a criança pode se encontrar com uma história contada por um professor ou bibliotecário que vai encantá-la e daí em diante inicia a epopeia: a criança empresta o livro uma semana, depois quer emprestá-lo na outra, depois também. Daí advém a preocupação da família: ele (a) trouxe o mesmo livro, de novo? Isso é normal?

 

Ao constatar a repetição do empréstimo pela criança, surgem outras questões na cabeça dos pais: se meu filho está trazendo o mesmo livro é por que a escola/biblioteca não está vendo o que ele está fazendo? Tenho que me preocupar, pois se não veem o que a criança empresta, não estão vendo a aprendizagem de minha filha?! Dilemática é a situação paterna.

 

Os pais, preocupados com a formação e bem-estar do filho, podem ficar inseguros quanto aos procedimentos da escola, por isso é necessário que a instituição esclareça a respeito das normas de empréstimos de livros. Nesse caso, que a criança no período de formação leitora deve ter a liberdade para voltar ao livro que gostou quantas vezes quiser.

 

Com isso, os pais têm a condição de fazer a correlação com aquilo que, às vezes, acontece com eles mesmos: repetir aquilo que gostam. Assim, compreendem que repetir o empréstimo de livro é normal, que a criança não tem nenhum problema por fazer isso.

 

Cada repetição é uma forma, muitas vezes, de a criança elaborar conflitos internos que ela não consegue verbalizar. Isso não significa que o adulto precise dizer isso para ela. Pois o que a criança precisa elaborar internamente acontece por meio da fantasia, da ficção, das histórias que “ falam” simbolicamente com ela.

 

Enfim, repetir o livro emprestado é um procedimento comum da criança que, naquele momento, sente a necessidade de se realimentar da história e que, com o tempo, passará e ela se encantará por outra história e, com certeza, outros empréstimos virão. Assim, se a criança quiser repetir o livro que vai emprestar na biblioteca da escola, temos apenas uma coisa a fazer: emprestar o quanto ela quiser!


   5 Leituras


author image
ROVILSON JOSÉ DA SILVA

Doutor em Educação/ Mestre em Literatura e Ensino/ Professor do Departamento de Educação da UEL – PR / Vencedor do Prêmio VivaLeitura 2008, com o projeto Bibliotecas Escolares: Palavras Andantes.