CRÔNICAS E FICÇÃO


TER A PALAVRA

Foram minhas primeiras palavras.

Foram as primeiras.

Foram as palavras primeiras.

As palavras.

 

Deram-me a palavra.

E eu não mais a larguei.

 

Bobagem: as palavras

não são dadas, são

conquistadas.

Devem ser usurpadas,

arrancadas,

extraídas.

Talvez, trocadas

e o troco é nada.

 

Cederam-me a palavra.

E eu não mais a soltei.

 

Bobagem: as palavras

não são cedidas, são

extirpadas,

cooptadas.

Talvez, permutadas,

comercializadas.

Mas, nesse caso,

por fazer o jogo deles,

o troco é a própria

perda

da palavra.

Autor: Oswaldo Francisco de Almeida Junior

   57 Leituras


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.