TEXTOS DE FICÇÃO


  • Textos de Ficção

CORDEL DA BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO

Preparem os seus ouvidos
Que rimando sou sensato
Vou contar nesse cordel
Qual que é o bom retrato
Vou contar a história da
Bij Monteiro Lobato.

Biblioteca importante
Que eu recordo assim
Fica na Vila Buarque
Digo tim tim por tim tim
Quatro, oito, cinco, o número
Rua General Jardim.

Gente, eu falo da Lobato
Recordando a Diretriz
Há mais de 60 anos
Deixa o povo feliz
Afinal é a biblioteca
Mais antiga do país.

Dentro da literatura
Infantil é uma mina
E também a juvenil
Sempre sempre predomina
Reúne o maior acervo
De toda América Latina.

Isso não é brincadeira
Espaço sensacional
Onde o mais antigo e o novo
Estão no mesmo local
Tem autores consagrados
E produção atual.

Tem livros de mil mistérios
Fábulas e literatura
Tem os bons contos de fada
De amor e de bravura
Agora já tem cordel
Tradição que perpetua.

Tem a sala de leitura
Ler e contar um duelo
Brincando de mil histórias
Encontrando sempre o elo
Chamada sala do "Sítio"
Do picapau amarelo.

Já a sala Júlio Gouveia
Espaço pra juventude
Lá tem o RPG
E HQ com atitude
Encontros de formação
Que falam sobre saúde.

Tem a sala circulante
Que empresta livro didático
Empresta as HQ's
Ficção, paradidático
E com tanta coisa boa
O jeito é ficar fanático.

Se você para estudar
Diz:- Eu tenho ojeriza!
Não se acanhe, meu cumpadre
Ouça a voz que analisa
Vá quebrar esse tabu
Lá na sala de pesquisa.

Um homem sem ter pesquisa
É um homem em falência
Fica pobre e vazio
E também sem referência
Pense sempre em estudo
E aumente a inteligência.

Já na sala multimeios
Vou dizer toda verdade
Tem pesquisa em arquivo
De jornal com qualidade
Tem revistas, Atlas, mapas
Tudo da atualidade.


Cessão de ilustração
Tem recortes de jornais
Fitas cassetes, slides
Para um trabalho capaz
Lá tem discos infantis
Tudo isso e muito mais.

Mas pra falar dessa Bij
Nesse verso já detono
Porque aqui tem museu
Tem a vida do patrono
Se quero uma referência
Num segundo, aciono.

Dados sobre vida e obra
Os dias do calendário
Livros e fotografias
Cartas e o itinerário
Objetos pessoais
E também imobiliário.

Para os bons estudiosos
Informações de valores
Um rico material
Para os pesquisadores
Museu vivo e muito mais
Para todos professores.

Essa Bij tem também
Um gigante auditório
140 lugares
Peças no seu repertório
Provando que a Monteiro
Tem futuro promissório.

Chama Lúcia Lanbertini
O teatro genial
Tem espaço para ensaios
E palestras no local
Quando acende as luzes
Vem a peça teatral.

Vou falar de outra sala
Com a minha poesia
É Lenira Fraccaroli
Sala de bibliografia
E de documentação
Um trabalho de valia.

De obras e periódicos
Aqui tem a coleção
Livros de língua estrangeira
Tem uma ampla reunião
Coleção de obras raras
Não falta nesse salão.

Nessa sala também tem
Algo que o povo exige
Sem passado eu já digo
Algo sempre me aflige
Porque tem arquivo histórico
Documental dessa BIJ.

Minha gente, agora eu falo
E sem contar a mentira
Porque lembrar o passado
É como escutar a lira
Conto agora pra vocês
Quem foi a dona Lenira.

A Lenira Francaroli
Foi grande educadora
Pelo livro e leitura
Foi tremenda defensora
E da Monteiro Lobato
Foi a grande fundadora.

Mas não só essa Bij
Qu' ela fundou no local
Lenira Francaroli
Foi muito especial
Fundou das Bij's, a rede
Chamada Municipal.

Mas não pára por aí
Venha moça e rapaz
Venham que a casa é sua
Sintam-se todos em paz
Que em meus versos falo dos
Serviços especiais.

Tem o grupo de teatro
Timol ele é chamado
É um grupo bem estável
Um trabalho preparado
Onde jovens e crianças
Sempre mandam o recado.

Tem encontros semanais
Os encontros das idades
Para a melhor idade
Cidadania e verdades
Sempre ocorre às sextas-feiras
Não perca' as atividades.

Tem ônibus biblioteca
Que circula todo dia
Levando toda leitura
Pra nossa periferia
Em breve terá cordel
Repente e cantoria.

Tem acervo genial
Que o estudante precisa
2.000 textos de teatro
Que então disponibiliza
Pra consulta de estudante
Como também a pesquisa.

Oficinas culturais
Sessão de vídeos também
Ficção, documentários
Falar disso me convém
Visitas monitoradas
Pra escolas também tem.

Mas gente, agora eu conto
Com a minha rapidez
O que essa Bij deu
De presente pra vocês
U'a bela programação
De outubro, 2003.

Convido tod'esse povo
Nessa viagem embarque
Que a arte popular
Aqui faz o desembarque
De educação e cultura
Circuito Vila Buarque.

Um roteiro especial
De um jeito exemplar
O cordel e o repente
Aqui têm o seu lugar
Tudo isso e muito mais
É cultura popular.

Arte de um forte povo
Nordestino com Bravura
Que adora o jabá
Baião- de-dois, rapadura
Que aqui vai ter cordel
E também xilogravura.

Dia 05 às 11 horas
Espetáculo teatral
"O Vaqueiro e o Bicho Frouxo"
Com traço medieval
Com cordel e mamulengo
Pra alegrar o pessoal.

Pra falar desses atores
Juro que eu não tomo susto
Uma dupla competente
Cujo timbre é robusto
São eles Alzira Andrade
E Aluízio Augusto.

Dia 12 às 11 horas
O teatro vai ter eco
Porque vai interagir
O ator com o boneco
Tudo isso e muito mais
No espetáculo Nandereko.

Novamente Alzira Andrade
Vai mandar o seu recado
Alegrando à criançada
Com boneco encantado
E sua grande parceira
Atriz Amanda Machado.

Mas também eu vou falar
Do poeta menestrel
No dia 12 de outubro
Às 10, mostro o painel
Da cultura popular
Do repente e do cordel.

Em 14 de outubro
Conto história pra criança
Às 10 horas da manhã
Vou atiçar mi'a lembrança
Também faço oficina
Pro verso ter esperança.

17 de outubro
Vou mostrar todos valores
Do verso em sala de aula
Tem que entrar nesses setores
Vou fazer uma oficina
Pra cinqüenta professores.

Virão os educadores
Dentro de uma comitiva
Para deixar essa chama
Sempre acesa e viva
Eles são trazidos pela
Ong Ação educativa.

Em 29 de outubro
Uma data especial
Afinal do grande livro
É o dia nacional
Com orgulho e com prazer
Encerro o mês genial.

Começa às 14 horas
Com oficina, história
Com versos de improviso
Com aguçada memória
Contando desse cordel
Qual é sua trajetória.

Quem quiser, tem o convite
Escutem os meu recados
Pra multiplicar o verso
Todos estão convidados:
- Escrevam o seu cordel!
E versos improvisados

Se você é professor
E quer uma novidade
Participe desse dia
Com muita tranqüilidade
Que eu lhe dou um meu livreto
Em prova de amizade.

Também tem exposição
Vou contar todos segredos
Feita com xilogravuras
Temática sobre brinquedos
E a Cecília Pimentel
Vai mostrar os bons enredos.

Também tem u'a exposição
Vou lançar a minha rede
Mostro o povo nordestino
Do verso, matando a sede
No trabalho original
Chamado " Pé-de-Parede".

Mostro a tradicional
E autêntica cantoria
Feita na grande cidade
Por quem vive poesia
Chamei o Christian Montagna
Pra fazer fotografia.

Mas não pára por aí
Que arte aqui é pura
Que a Edna e o Danilo
Mostram com desenvoltura
Quem tem mais de doze anos
Ensinam xilogravura.

São três dias, minha gente
Escutem o meu poema
16 e 21
23 sem ter problema
A partir das 08h30
O cordel será o tema.

No dia 10 de outubro
Essa Bij é gentil
Pois Maria Rita Marques
Contadora nota mil
Às 14 tem sarau
De leitura infantil.

A grande Maria Aila
Vai mostrar o seu talento
Conta Ricardo Azevedo
Num trabalho 100%
Mas precisam 10 pessoas
E prévio agendamento.

O cordel e o repente
Vamos desatar os nós
Essa arte é muito viva
E também muito veloz
Entre o povo nordestino
Que reside entre nós.

Mas temos que ampliar
Buscar os novos espaços
Pois os versos e leituras
Fazem os bonitos laços
É por isso que a Monteiro
Está desenhando os traços.

O espaço é todo seu
Venha aprender poesia
Venha ouvir nossos repentes
Conhecer a cantoria
Agora eu vou indo embora
Adeus, até outro dia.
Autor: Cesar Obeid
Fonte: Autorizado pelo autor em 25/02/2005

   259 Leituras


author image
Seção Mantida por OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.