LITERATURA INFANTOJUVENIL


AS INCRÍVEIS E INVISÍVEIS BRUXAS BRASILEIRAS

Colaboração de Mariana Luvizutti Coiado Martinez

A coluna desse mês será uma conversa "de pé de orelha" entre eu e a minha amiga Mariana. Ela é uma menina de 08 anos que lê muito, filha de uma bibliotecária, minha amiga.

SUELI: Ando pensando que no Brasil têm muitas bruxas e elas não são tão famosas (visíveis) como aquele bruxo que é mundialmente famoso, o... (como é mesmo o nome dele?). Aquele que tem livros, filmes e monte de camisetas, adesivos, chaveiros e outros produtos que você encontra para comprar nas lojas.

MARIANA: O Harry Porter?

SUELI: Sim. E as bruxas brasileiras?

(Mariana correu até a estante e... Me desculpem, esqueci de dizer que eu estava na casa dela em Marília. Ela correu até a estante e trouxe vários livros maravilhosos de bruxas maravilhosas).

(Nisso resolvemos, a quatro mãos, escrever esse texto. Mesmo porque a Mariana tem apenas 08 anos, mas tem uma inteligência de gente grande, ou melhor, tem gente grande que não tem a inteligência dela).

SUELI: Vamos começar pelas bruxas da Eva Furnari.

(Nesse instante a Mariana deitou no chão, fechou os olhos e eu imagino que ela ficou imaginando a Eva Furnari, que é uma escritora maravilhosa, construindo seus personagens em grande panelões. Imagino também que a Mariana adormeceu com a seguinte pergunta: Será que a Eva também é bruxa? Eta, que bruxa danada!).

(Aproveitando que a Mariana dormiu, fui reler, digo, mil-ler, pois já li mais de mil vezes os livros de Eva Furnari. E passo agora a falar daqueles que são os meus preferidos).


A bruxinha encantadora e seu secreto admirador, Gregório. Esse livro reuniu diversas tiras publicadas na Folhinha de S. Paulo na década de 80. Há, porém várias histórias no livro. As que estão nas tiras e uma que acontece em paralelo. Trata-se de um diálogo que Gregório (um pretenso detetive) estabelece ora com a autora, ora com a bruxinha e na maioria das vezes com ele mesmo, a respeito de sua admiração pela bruxinha. Gregório está na primeira página do livro e é nela que ele afirma: "a minha amiga desenhista tem diversas personagens, mas eu acho que a bruxinha é a mais simpática de todas! Eu acho que ela é a personagem mais bonita, mais talentosa, mais interessante que existe! Meu Deus, que olhos! Que nariz! Ela é o sol das manhãs de domingo (quando não chove)". Tirando os exageros de um homem (digo, personagem) apaixonado, eu concordo plenamente e acredito que apesar de estar dormindo, a Mariana também.

É preciso dizer que a Bruxinha está em outras obras de Eva Furnari. A autora publicou, por exemplo, dois livros na Coleção Mágica da Editora FTD, são eles: Bruxinha 1 e Bruxinha 2. A respeito deles Tatiana Belinky (outra autora brasileira de importância nacional) avalia: "a bruxinha se destacou logo, por sua efervescente personalidade, de tanta identificação com a criança".

Como essa personagem virou peça de teatro e "rodou o mundo" com o Grupo Trucks, virou o livro também que foi intitulado Trucks pela Editora Ática.

O mesmo encantamento ela provoca com os livros - A bruxinha atrapalhada (Global Editora), O amigo da bruxinha (Editora Moderna) e A bruxinha e o Godofredo (Global Editora). (Obs: Godofredo é um monstro desengonçado e muito atrapalhado que comeu todos os títulos das tiras. Para solucionar o problema, o leitor, no final do livro é convidado para fazer esse serviço). Se a Mariana estivesse acordada nesse momento, ela diria: Esse monstro é uma marmota! Além desse livros, a bruxinha é personagem também dos livros Bruxinha e as maldades da sorumbática (Editora Ática), Bruxinha e o Frederico (Global Editora),

Eva ainda tem outras bruxas, entre elas a Zelda, que é personagem do livro - O feitiço do sapo (Editora Ática). Esse livro foi considerado Altamente Recomendável para a Criança em 1995 e suas ilustrações constam da Lista de Honra do IBBY (International Board on Books for Young People). A história passa-se na cidade de Piririca da Serra, nela Carmela sonha com seu príncipe encantado e Zóio (excêntrico doido), para ajudá-la, apela para o truque do sapo e apela para o professor Boris e seu assistente Nicolino. Boris por sua vez apela para o seu primo e mago Druilo. E na busca de resolução para o problema acabam arrumando confusão com a bruxa Zelda e seu urubu/assistente, chamado Astolfo. O texto além de criativo é bem-humorado. Mas, afinal a romântica Carmela encontra seu príncipe encantado? O que você acha, Mariana? Ela continua dormindo e não responde... E eu, bem eu vou deixar a interrogação no ar, quem quiser saber me passe um e-mail que eu conto.

A autora tem outras obras que as crianças merecem ler e ouvir, são elas: Filó e Marieta (Paulinas), Amendoim (Paulinas), Caça-Fumaça (Paulinas), Por um fio (Paulinas), Zuza e Arquimedes (Paulinas), A bruxa Zelda e os 80 docinhos, Nós (Global), Traquinagens e estripulias (Global), O problema de Clóvis (Global), Luas (Global), Os problemas da família gorgonzola (Global), Loló Barnabé (Moderna), Abaixo das canelas (Moderna), Pandolfo Bereba (Moderna), Umbigo indiscreto (Moderna), Assim assado (Moderna), Você troca? (Moderna), Não confunda... (Moderna), Quer brincar? (FTD), A menina da árvore (Studio Nobel), Catarina e Josefina (Formato), Ritinha bonitinha (Formato), A menina e o dragão (Formato) e muitos outras.

(Mariana acorda e fica admirada, pois eu continuava trabalhando no computador e o texto havia crescido muito).

SUELI: Fiquei com uma curiosidade: será que é fácil ser bruxa?

MARIANA: Não, mas mais difícil que ser bruxa é ser fada e a Aline do livro - "A menina que queria ser bruxa" já descobriu isso.

SUELI: Muito bem lembrado, Mariana, mas Fadas... Bom, Fadas, é uma outra conversa. Quem sabe para o próximo mês!

MARIANA: Isso mesmo, e já tenho até o titulo para a Coluna - "As interessantes fadas brasileiras".

SUELI: VICHI, MARIANA! Têm muitas fadas na literatura infantil brasileira? Só sei de algumas. Você me ajuda nessa pesquisa?

MARIANA: Claro que ajudo! Vou procurar nas bibliotecas de Marília!

SUELI: Então aguardem o próximo mês.

 

OUTROS LIVROS QUE TÊM BRUXA

LIVRO
AUTORA
EDITORA
A menina que queria ser bruxa Giselda Laporta Nicolelis FTD
Uxa ora fada, ora bruxa Sylvia Orthof Nova Fronteira
Histórias de bruxa boa Lya Luft Record
Gorda ou magra abracadabra Giselda Laporta Nicolelis Moderna
A bruxa Vitalina Márcia Frazão Cosac Naify
Bruxinhas e bruxarias Lucina M. M. Passos Scipione
Bruxapéu Lia Zatz Callis
A Festa de Bruxapéu Lia Zatz Callis

 


   474 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
AS INTERESSANTES FADAS BRASILEIRAS
Março/2005

Ítem Anterior

author image
HORA DA HISTÓRIA: TODA CRIANÇA MERECE
Dezembro/2004



author image
SUELI BORTOLIN

Doutora e Mestre em Ciência da Informação pela UNESP/ Marília. Professora do Departamento de Ciências da Informação do CECA/UEL - Ex-Presidente e Ex-Secretária da ONG Mundoquelê.