ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO


A INFORMAÇÃO E O CONHECIMENTO NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL

A informação e o conhecimento têm papel fundamental nos ambientes corporativos, porque todas as atividades desenvolvidas, desde o planejamento até sua execução propriamente dita, assim como o processo decisório, são apoiadas por informação e conhecimento. Esse fato é conhecido dos gestores que, de certa forma, tentam, por meio de sistemas informacionais, resolverem ou amenizarem as questões inerentes à informação e ao conhecimento.

 

Primeiramente, é importante compreender a organização como núcleo da sociedade, no sentido de que ela congrega pessoas, sustenta a economia, gera empregos, profissionaliza e especializa a atuação dos indivíduos, em suma, influencia a cultura e a própria sociedade. Para Morin1 a “empresa é colocada num meio ambiente externo que por sua vez integra um sistema ecoorganizado ou ecossistema”. Compreender a organização em sua complexidade redimensiona o papel da informação e do conhecimento neste contexto.

 

Compreende-se a organização, por meio do enfoque sistêmico, de que é uma totalidade integrada através de diferentes níveis de relações, sua natureza é dinâmica e suas estruturas não são rígidas, mas sim flexíveis embora estáveis. Ela é resultante das interações e interdependência de suas partes2, a informação e o conhecimento podem ser considerados como o sangue que circula nesta estrutura.

 

O indivíduo corporativo gera, compartilha e usa informação e conhecimento e, por meio dessas ações, alimenta a estrutura organizacional, que o retroalimenta. Essa dinâmica é inerente ao indivíduo corporativo e à organização. Daí a importância da informação e do conhecimento e da necessidade de gerenciá-los eficientemente.

 

Para isso, é necessário que os gestores tenham clareza quanto aos aspectos inerentes à informação e ao conhecimento. A gestão da informação e a gestão do conhecimento são modelos de gestão que fornecem as condições necessárias para gerenciar eficazmente esses dois elementos tão importantes para a organização. No entanto, é preciso entender a gestão da informação e a gestão do conhecimento na sua complexidade.

 

Para muitos gestores, gestão da informação e gestão do conhecimento resume-se à implantação de uma tecnologia ou de várias tecnologias que darão maior agilidade às questões informacionais, não observando outros elementos fundamentais para esse gerenciamento, como por exemplo, a cultura organizacional, a comunicação, a estrutura (formal e informal), a racionalização (fluxos e processos), as redes de relacionamento etc. É um erro acreditar que a gestão deve focar um único elemento, porquanto todos os elementos inerentes à informação e conhecimento precisam fazer parte da gestão.

 

Da mesma forma, é preciso ter clareza quanto ao papel da gestão da informação e da gestão do conhecimento, pois são coisas diferentes, porém complementares. Entende-se gestão da informação como um conjunto de estratégias que visa identificar as necessidades informacionais, mapear os fluxos formais de informação nos diferentes ambientes da organização, assim como sua coleta, filtragem, análise, organização, armazenagem e disseminação, objetivando apoiar o desenvolvimento das atividades cotidianas e a tomada de decisão no ambiente corporativo3. A gestão do conhecimento é entendida como um conjunto de estratégias para criar, adquirir, compartilhar e utilizar ativos de conhecimento, bem como estabelecer fluxos que garantam a informação necessária no tempo e formato adequados, a fim de auxiliar na geração de idéias, solução de problemas e tomada de decisão4.

 

A informação e o conhecimento, insumos do fazer organizacional, precisam ser mais bem gerenciados, para isso os gestores devem ter um olhar macro das questões que envolvem esses insumos, assim como devem perceber a complexidade que envolve as organizações no mundo atual.

 

--------------------

1 MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2005. 120p.

2 CAPRA, F. O ponto de mutação. São Paulo: Cultrix, 2002. 28.ed. p.260-61

3 VALENTIM, M. L. P. Inteligência competitiva em organizações: dado, informação e conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.3., n.4, ago. 2002.

4 VALENTIM, M. L. P. et al. O processo de inteligência competitiva em organizações. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, p. 1-23, 2003.

   995 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
AS ORGANIZAÇÕES E A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - I
Fevereiro/2007

Ítem Anterior

author image
GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO E A IMPORTÂNCIA DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL
Dezembro/2005



author image
MARTA LIGIA POMIM VALENTIM

Professora Titular da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Pós-Doutorado pela Universidad de Salamanca (USAL), Espanha. Livre Docente em Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional pela Unesp. Docente de graduação e pós-graduação da Unesp, campus de Marília. Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa "Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional". Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da Unesp, campus de Marília, gestão 2017-2021. Presidente da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação (ABECIN), gestão 2016-2019.