ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO


AS ORGANIZAÇÕES E A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - I

A sociedade é construída por ela mesma...

 

É difícil discutir o “econômico” sem trazer as questões políticas e sociais, não que seja impossível, mas no contexto da Sociedade da Informação, seria extremamente difícil.

 

Compreendo a Sociedade da Informação como aquela economicamente alicerçada na informação e conhecimento e nas tecnologias de informação e comunicação (TIC´s). A informação é a matéria-prima, o insumo básico do processo; as tecnologias de informação e comunicação são as estruturas que possibilitam o acesso, a armazenagem, o processamento e a mediação/disseminação; o conhecimento é o resultado do processo1.

 

Nesse cenário, as organizações, sejam públicas ou privadas, são núcleo dessa sociedade, porquanto sustentam a economia, geram empregos, profissionalizam e especializam a formação e atuação dos indivíduos, em suma, influenciam a cultura e a própria sociedade.

 

A relação entre o poder econômico (as organizações) e o poder político (os governos) é extremamente forte, pois historicamente verificamos que essa relação é imbricada a tal ponto que, muitas vezes, não percebemos onde começa um e onde termina o outro. A globalização trouxe para os governos uma figura, que já existia anteriormente, mas que se consolidou de tal forma com a globalização, que modificou o grau do poder governamental. Os governos são, cada vez mais, apoiados por grupos econômicos, que definem, de certo modo, o rumo econômico, político e social, tanto no nível macro (país, bloco econômico), quanto no nível micro (município, estado).

 

Portanto, a construção de uma sociedade recebe grande influência das organizações. Nesse sentido, as organizações são de fato núcleos sociais de extrema importância, para cada um dos segmentos que compõem uma determinada sociedade. Ela tanto influencia o meio em que está inserida, quanto recebe influência do meio influenciado. Essa dinâmica transforma, pouco a pouco, os princípios, os valores, as crenças, os comportamentos, as atitudes etc. O resultado dessas interações e interdependência entre as organizações e o meio em que atuam, pode ser considerado como o que sustenta a estrutura da sociedade, neste caso a Sociedade da Informação.

 

Discutir a Sociedade da Informação e discutir as organizações e o papel que elas têm nesse contexto, portanto, é fundamental. Os fenômenos organizacionais são aqueles que de certa forma, se inserem na sociedade, visto que os indivíduos participam de ambos os contextos.

 

As políticas públicas são elaboradas a partir de um ponto de vista, atualmente econômico/ideológico, antigamente apenas ideológico. Esse fato modifica a forma e o entendimento das questões sociais.

 

A informação é insumo para qualquer fazer, seja no âmbito acadêmico, seja no âmbito industrial. O desenvolvimento requer, necessita de conteúdos informacionais que, uma vez processados e disponibilizados aos que deles precisam, proporcionem o desempenho eficiente. A geração de conhecimento somente é possível quando a informação é interiorizada pelo sujeito, propiciando, por meio do estabelecimento de relações cognitivas, novo conhecimento, que pode ser aplicado.

 

A relação sistemática entre política e economia, gera ou não benefícios sociais. A Sociedade da Informação, portanto, é resultado dessa relação. Cabe aos profissionais que estudam os fenômenos dessa sociedade, indicar às organizações, a necessidade de investimento em recursos humanos capacitados e infra-estrutura, de modo que a Sociedade da Informação seja de fato uma realidade e não apenas um plano ou programa de ação governamental.

 

Pelo exposto, acredito que a Sociedade da Informação necessita urgentemente da compreensão de sua importância, por parte das organizações, pois somente elas podem modificar os valores e, em conseqüência, a cultura de um país, atribuídos ao acesso, geração, uso e compartilhamento de informação e conhecimento. Um país sem informação é um país sem conhecimento, e um país sem conhecimento é um país sem desenvolvimento econômico e social.

 

 

--------------------

 

1 VALENTIM, M. L. P. Inteligência competitiva em organizações: dado, informação e

   conhecimento. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v.3., n.4, ago. 2002.


   616 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
AS ORGANIZAÇÕES E A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - 2
Março/2007

Ítem Anterior

author image
A INFORMAÇÃO E O CONHECIMENTO NO CONTEXTO ORGANIZACIONAL
Maio/2006



author image
MARTA LIGIA POMIM VALENTIM

Professora Titular da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Pós-Doutorado pela Universidad de Salamanca (USAL), Espanha. Livre Docente em Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional pela Unesp. Docente de graduação e pós-graduação da Unesp, campus de Marília. Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa "Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional". Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da Unesp, campus de Marília, gestão 2017-2021. Presidente da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação (ABECIN), gestão 2016-2019.