TEXTOS GERAIS


  • Textos Gerais

PARTE TEÓRICA INICIAL DE UM PROJETO DE CRIAÇÃO DE UM CURSO TÉCNICO EM DOCUMENTAÇÃO

O profissional que trabalha com documentação em geral é conhecido como arquivista e bibliotecário. O Profissional arquivista atua em arquivos e bibliotecário atua em bibliotecas e centros de documentação.

 

A Biblioteconomia é uma das profissões mais antigas do mundo, documentada desde a Antiguidade. A palavra grega Biblion referia-se, não a livros, mas à cidade fenícia de Biblos, onde se fabricava o papiro. Ao longo dos séculos e na medida da evolução cultural humana também passou de eminentemente preservadora para a característica de disseminadora do conhecimento registrado.

 

O século XX marcou-se por inúmeros novos suportes para registro do conhecimento, culminando com os registros virtuais. À explosão de informações e conhecimentos, alia-se a especialização em todas as áreas, exigindo um novo profissional. O século XXI traz mudanças significativas, onde se demanda um profissional com maior dinamismo e com competências para atuar no mundo eletrônico, ou seja, o mundo da hipertextualidade, multimidialidade e redes de conhecimento.

 

Em essência, cabe a esse profissional selecionar, coletar, organizar disseminar registros do conhecimento, em quaisquer suportes e em quaisquer ambientes, através dos produtos por ele gerados. Segundo o presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB), Raimundo Martins de Lima:

 

A profissão de Bibliotecário se caracteriza como uma profissão de prestação de serviços à sociedade, de comunicação e de contato direto e indireto com o seu público, sendo essa relação com produtores e consumidores de informação determinante para a eficácia dos serviços que presta [...] o bibliotecário está no centro das ações de produção, transferência, uso, reunião, tratamento e difusão das informações por parte das unidades, sistemas e serviços de informação

Por princípio e por ética, a atuação da Biblioteconomia possui forte caráter social, voltada ao crescimento do indivíduo, abrindo-lhe alternativas e oportunidades de estudo produção, transferência, uso, reunião, tratamento e difusão das informações por parte das unidades, sistemas e serviços de informação [...]. (LIMA, 2002)

 

Por princípio e por ética, a atuação da Biblioteconomia possui forte caráter social, voltada ao crescimento do indivíduo, abrindo-lhe alternativas oportunidades de estudo, pesquisa e lazer.

 

A partir da década de 1960, surge o conceito de Ciência da Informação, área de conhecimento que estuda as propriedades, comportamento e circulação da informação. Ao agregar novos enfoques às questões de tratamento, recuperação e disseminação de informações, revela um novo profissional: o especialista em informação.

 

Com vertentes, que se traduzem em diferentes linhas de pensamento e pesquisas, a Biblioteconomia e a Ciência da Informação se caracterizam pela interdisciplinaridade, abertas a qualquer outra ciência enriquecedora de seu arcabouço teórico.

 

Segundo a Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação (ABECIN), em documento sobre a construção de projeto pedagógico na área, o referencial teórico abrange um “conjunto de conhecimentos oriundo de campos como a Sociologia, a Antropologia, a Educação, a Administração, a Filosofia, a Comunicação e outras que irão embasar o processo de formação científica e profissional”. Dentre tais outras, incluem-se a Lingüística, a Psicologia e as Ciências Exatas. O mesmo documento considera, ainda, “como premissas os princípios expostos por Morin [...]: aprender a aprender, a ser, a fazer, a viver junto e a conhecer” (ABECIN, 2001, p. 16). Tais aspectos convergem para a formação de alunos com visão técnico-científica, ou seja, que compreendam a provisoriedade da verdade científica e suas aplicações, portanto, críticos, reflexivos, autônomos e éticos, para fazer frente aos desafios próprios da área.

 

Segundo o Sistema CFB/CRB

 

O profissional de Biblioteconomia desenvolve atividades de organização, tratamento, análise e recuperação de informações em diversos níveis e suportes físicos, por meios manuais e automatizados, com vistas ao atendimento das necessidades informacionais de todos os segmentos da sociedade, ao avanço científico-tecnológico e ao desenvolvimento social do país.

A utilização de novas tecnologias da informação vem exigindo, desse profissional, nova resposta à globalização da economia e conseqüentes transformações mercadológicas e sociais, impõe-se, cada vez mais, um profissional atuante, com capacidade de oferecer produtos e serviços de informação para esse novo mercado de trabalho.

O profissional de Biblioteconomia, que tradicionalmente atua em bibliotecas, encontra novas frentes de trabalho em sistemas e redes de informação de setores públicos, empresariais e industriais, escritórios de assessoria e consultoria, organização de arquivos e de documentação particulares, ensino e pesquisa, podendo atuar como analista da informação, como gestor de serviços de informação e também na área de normalização.

 

De acordo com autor do presente texto o profissional de Biblioteconomia é o responsável pela identificação e seleção de informações adequadas às necessidades da clientela, seja ela aluno do ensino fundamental, do ensino médio, aluno de graduação, de pós-graduação e até pesquisadores de renome.

 

Este profissional é também quem organiza e implanta centros de documentação e acervos audiovisuais e realiza o processamento técnico da documentação em museus, em centros de pesquisa, em universidades, em escolas, em escritórios jurídicos etc.

 

 

Referências

 

ABECIN/FORGRAD. Projeto Pedagógico e Avaliação da Graduação: referências para renovação e ressignificação do ensino em Biblioteconomia/ Ciência da Informação. São Paulo: ABECIN, 2001. Disponível em: <http://www.abecin.org>. Acesso em 28 out. 2003.

 

LIMA, R.M. Regulamentação e fiscalização profissional: o duplo papel do Conselho Federal de Biblioteconomia. [Brasília]: CFB, 2002. Disponível em: <http://www.cfb.org.br> acesso em 04 dez. 2003.

 

PROJETO pedagógico do curso de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação da UFScar 2004. Disponível em < http:// www.prograd.ufscar.br/projetoped/projeto_bci.pdf>

 

SSISTEMA do Conselho Federal de Biblioteconomia/Conselhos Regionais/carreira.

 

 

Maurício Chatel Vasconcellos Filho é bibliotecário e documentalista pela Universidade Federal Fluminense (UFF) em Niterói-RJ e atualmente é bibliotecário da Prefeitura de Taubaté – SP. Contato pelo e-mail chatel150@gmail.com.

 

Janeiro de 2014.

Autor: Maurício Chatel Vasconcellos Filho

   27 Leituras


author image
Seção Mantida por OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.