LITERATURA INFANTOJUVENIL


POR QUE DUVIDAR DO SENSO CRÍTICO DE UM PRÉ-ADOLESCENTE?

Na coluna do mês passado abordei a dificuldade que, em geral, os bibliotecários têm em lidar com os adolescentes. Pois é, achamos que os conhecemos, mas eles nos surpreendem.

Não vou falar de um adolescente, mas de um pré-adolescente que me ajudou outro dia, quando eu não soube avaliar se havia gostado ou não de um livro infantil. Isso nunca aconteceu com você leitor? Pois não foi a primeira vez que fico de boca aberta diante de um livro.

 

Para vocês entenderem passo a palavra ao Pedro e quero dizer que, exceto colocar o nome e autor do livro lido, eu não tive participação no texto dele:

 

 

Sou sobrinho da Sueli. Tenho 11 anos. Outro dia ela leu um livro e não sabia dizer se o livro era legal ou não. Então ela me perguntou qual era minha opinião, eu li e respondi:

 

Minha opinião sobre o livro “O contador de histórias” escrito por Saki, é que ele é muito interessante e engraçado, pois se trata de uma senhora que é tia de três crianças que estão fazendo bagunça dentro do trem. Então a tia tenta contar uma história para eles que é curta, tem um final feliz, não gostei, era muito ruim. Mesmo assim ainda faziam bagunça, então um senhor que estava sentado no banco ao lado da tia a critica e conta uma história para as crianças muito melhor do que a da tia e com um final inesperado (um final triste) que as crianças amam. Eu acho que nem todas as crianças gostam de histórias com final feliz: “por que acham que inventaram o filme de terror?”. O que eu mais amei na história foi o jeito do senhor contar a história para as crianças, foi tão criativo e interessante. Então foi por isso que eu gostei do livro, então agora vou agradecer a minha tia Sueli por essa oportunidade.              

 

Pedro Bortolin de Abreu Pestana

 

 

 

Bom depois dessa só me resta falar um pouco mais a respeito da obra. Saki é um escritor inglês, cujo nome verdadeiro é Hector Hugh Munro. O livro é retangular, num formato próximo de um trem, com uma sobrecapa no mesmo semelhante, porém com cortes representando janelas. A ilustradora chama-se Alba Maria Rivera. A tradução é Marcos Bagno e posfácio de Juan Gabriel López Guix. A casa publicadora é a Edições SM.

 

 

Referência:

 

SAKI. O contador de histórias. São Paulo: Edições SM, 2009.

 


   262 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
NARRAR HISTÓRIAS: UMA CAIXINHA DE SURPRESA
Agosto/2013

Ítem Anterior

author image
12 MARÇO DIA DO BIBLIOTECÁRIO: PARABÉNS À TODOS, MAS EM ESPECIAL ÀQUELES QUE MEDEIAM LEITURA PARA OS ADOLESCENTES, UM PÚBLICO ATIVO E INQUIETO
Março/2013



author image
SUELI BORTOLIN

Doutora e Mestre em Ciência da Informação pela UNESP/ Marília. Professora do Departamento de Ciências da Informação do CECA/UEL - Ex-Presidente e Ex-Secretária da ONG Mundoquelê.