ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO


GESTÃO DO CONHECIMENTO E CRIATIVIDADE VISANDO A COMPETITIVIDADE ORGANIZACIONAL

A criatividade é fundamental para organizações que buscam competitividade empresarial. Fator portanto, que deve ser entendido como estratégico e, por esse motivo, ser inserido nos planos de gestão da corporação.

A criatividade pode ser fomentada entre as pessoas da organização, uma vez que existem diferentes mecanismos que estimulam o desenvolvimento desta habilidade individual.

Primeiramente, é importante mencionar que qualquer pessoa tem grande potencial criativo, mesmo que não tenha o hábito de utilizar esse recurso para desenvolver suas atividades ou tomar decisão no dia-a-dia. Em segundo lugar, a organização precisa tomar para si essa responsabilidade e dar condições aos indivíduos da organização, aprenderem a usar esse recurso, bem como terem consciência dessa habilidade.

A informação é alicerce para o processo criativo. Todo e qualquer processo criativo, seja uma idéia, uma decisão ou uma inovação, apoiá-se em informação. É a partir dela que é possível ao indivíduo conhecer, refletir e gerar algo criativo, novo.

A gestão do conhecimento é um dos instrumentos corporativos que propicia e estimula o desenvolvimento de um ambiente organizacional criativo. Entende-se gestão do conhecimento como um conjunto de estratégias para construir, externalizar, socializar, internalizar e reconstruir ativos de conhecimento em organizações.

A criatividade organizacional necessita de espaços próprios, que integrem as pessoas e permitam a troca de conhecimento. Esse movimento de socializar/internalizar ativos de conhecimento, promove entre os indivíduos maior dinâmica, maior clareza, maior segurança. Esses elementos juntos desenvolvem a mente criativa.

A partir de uma ou várias informações recebidas, o indivíduo as internaliza, e as processa. A reflexão, segunda etapa desse processo, é realizada individualmente. Essa ação aproveita parte do conhecimento acumulado pelo indivíduo e estabelece conexões com o novo. O indivíduo pode, a partir disso, gerar um novo conhecimento. São ações que requerem tempo e dedicação pessoal.

No ambiente corporativo criativo, essas ações podem ser desenvolvidas em equipes. A socialização/internalização ocorre em conjunto, a reflexão individual passa a ser compartilhada em tempo real. Ninguém tem medo do ridículo, ninguém tem medo de expor suas idéias, suas incertezas, suas percepções etc.

A atitude de cada pessoa é importante: o respeito, a atenção, saber ouvir, saber calar, enfim buscar a interação é fundamental para o processo criativo.

O processo criativo é realizado em diversas etapas, pode-se citar dentre elas:
Etapa 1: Trocar idéias com liberdade, sem censura;
Etapa 2: Refletir sobre as possibilidades sem pensar nos obstáculos;
Etapa 3: Olhar criticamente os possíveis resultados;
Etapa 4: Socializar as dúvidas/incertezas;
Etapa 5: Escolher o que acredita ser o melhor para a organização com segurança.

Para que a organização seja criativa, precisa contar com uma cultura e clima organizacional positivo em relação ao uso da informação (cultura informacional), assim como necessita contar com a comunicação informacional ativa e assimilada pelas pessoas. Sem isso, dificilmente será possível, mesmo com espaços próprios para o desenvolvimento da criatividade, implementar algo neste nível.

As pessoas são a essência para que o processo criativo seja um fato e não um plano corporativo.


   753 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
FORMAÇÃO DE EQUIPES PARA GERENCIAR O PROCESSO DE I.C.
Agosto/2004

Ítem Anterior

author image
DIAGNÓSTICO DA GESTÃO DO CONHECIMENTO EM ORGANIZAÇÕES
Junho/2004



author image
MARTA LIGIA POMIM VALENTIM

Professora Titular da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Pós-Doutorado pela Universidad de Salamanca (USAL), Espanha. Livre Docente em Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional pela Unesp. Docente de graduação e pós-graduação da Unesp, campus de Marília. Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq. Líder do Grupo de Pesquisa "Informação, Conhecimento e Inteligência Organizacional". Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI) da Unesp, campus de Marília, gestão 2017-2021. Presidente da Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação (ABECIN), gestão 2016-2019.