CRÔNICAS E FICÇÃO


MEDIADO

Vivi,

até hoje,

de esguelha,

de soslaio.

Porta aberta

para o nada.

Olhos

semicerrados,

meio abertos,

meio fechados,

encortinados pelos

cílios.

Meu mundo

é mediado,

remediado,

remendado.

Pouco vale

o vale entre

nascimento e

morte.

Meu mote é a

morte,

embora a vida

é bem-vinda

se bem vivida.

Minha sina,

acho,

é a vida

entendida,

estendida,

entediada,

enfim,

finda.

Autor: Oswaldo Francisco de Almeida Junior

   109 Leituras


author image
OSWALDO FRANCISCO DE ALMEIDA JÚNIOR

Professor associado do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UNESP/Marília. Doutor e Mestre em Ciência da Comunicação pela ECA/USP. Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação da UFCA- Cariri - Mantenedor do Site.