LEITURAS E LEITORES


O PORQUÊ DE OFERECER LIVRO A UMA CRIANÇA?

Porque o livro é uma extensão do ser humano e, portanto, à medida que se entra em contato com esse objeto cultural criado pelo homem, a criança vai se apropriando daquilo que é inerente à sua espécie: reconhece-se, estranha, aproxima-se da linguagem, fertiliza sua imaginação, torna-se mais humana.

É possível pensar que antes da invenção da escrita, cada povo guardava “livros orais” em sua memória que depois eram transmitidos de boca em boca, de geração em geração. Há 6 mil anos, aproximadamente, com a aquisição da escrita, surgiu o embrião de um dos objetos mais importantes criados pela humanidade, o livro físico, tal como é conhecido predominantemente até o século XX, pois atualmente está migrando também para o suporte digital, os chamados livros eletrônicos ou virtuais.

De acordo com os recursos naturais disponíveis em comunhão com a tecnologia dominada em cada época, o livro passou por inúmeros suportes até chegar ao formato que é conhecido hoje.

Os suportes usados para o livro variaram de sociedade para sociedade: passando por civilizações que usaram o barro, a pedra, o papiro, madeira, plantas, peles de animais (pergaminho) até chegar ao papel e iniciar sua migração para a tela digital.

Inventar suporte adequado para o livro foi tão revolucionário quanto criar o alfabeto, pois disseminou entre os povos a escrita, a leitura e a informação. Enfim, é uma conjuntura de situações, de criações subsequentes que encadeiam a transformação, a evolução do ser humano em busca de expor sua expressão, comunicar-se, por meio dos suportes culturais que criou.

Se comparado à história da humanidade, o livro é uma criação cultural recente, entretanto, tornou-se objeto imprescindível às sociedades contemporâneas e, também, à formação das gerações vindouras. Trata-se de uma herança cultural basilar para a constituição do indivíduo, que entra em contato com o pensamento e o conhecimento acumulados pelos que o precederam. É um legado do ser humano para o ser humano, do passado para o presente, do presente para o futuro.

A relação da criança com o livro é ensinada. Nenhuma criança se tornará adulto leitor se não houver em sua convivência, familiar ou escolar, o acesso ao livro, o incentivo para manusear, folhear, partilhar a leitura com alguém, ou saborear o livro solitariamente, independente de ser alfabetizada ou não.

Se o adulto está disponível para manusear o livro em parceria com a criança, falar sobre ele, contar ou ler o que está escrito nas páginas, criará na criança a necessidade de usar aquele objeto (livro), de se apropriar dele para sua vida.

Quando a família utiliza livros em casa, é bem provável que a criança vá incorporando o livro e as posturas usadas para o uso dele. Por exemplo, como segurar, folhear, como olhar. Inicialmente a criança faz por imitação do adulto, como se fosse uma brincadeira e, assim, vai assimilando o livro e toda a cultura de seu entorno.

Mesmo que a criança ainda não tenha se apropriado da escrita, é importante compartilhar o livro com ela de modo que possa interagir fisicamente com o livro, manuseá-lo, ouvir a leitura do que está escrito em suas páginas, compreender que aqueles caracteres (letras) possuem uma mensagem que pode ser entendida, que tem sentido.

Assim, a criança vai aprendendo a função do objeto-livro para sua vida e principalmente que, ao se aproximar dele, estará inserida no universo da escrita. Portanto, ao ouvir ou ler o que está escrito no livro, há o estímulo para que a linguagem, a memória e a atenção da criança desenvolvam-se, o que contribuirá para seu amadurecimento psíquico.

A criança é um ser em contínua aprendizagem e, nesse contexto, o livro torna-se um dos presentes imprescindíveis que adultos devem oferecer a ela, um legado da cultura produzida pela humanidade e que contribuirá para a formação do futuro leitor.

Consultas

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998.

NASCIMENTO, Angelina Bulcão. Como nascem os livros?. Rio de Janeiro: Casa da Palvara/Editora Antares, 2000.

ROCHA, Ruth; ROTH, Otávio. A história do livro. São Paulo: Melhoramentos, 2007.

 


   291 Leituras


Saiba Mais





Próximo Ítem

author image
A DANÇA DE EDITH: ANTES, DURANTE E APÓS AUSCHWITZ
Julho/2021

Ítem Anterior

author image
A ESCRITA, UMA INVENÇÃO HUMANA
Maio/2021



author image
ROVILSON JOSÉ DA SILVA

Doutor em Educação/ Mestre em Literatura e Ensino/ Professor do Departamento de Educação da UEL – PR / Vencedor do Prêmio VivaLeitura 2008, com o projeto Bibliotecas Escolares: Palavras Andantes.